Blog DiCorpo

Se você procura qualidade, inovação e bem-estar,
seja bem-vindo à DiCorpo!

Dicas para se livrar do vício em smartphones

A psicóloga Renata Maransaldi explica que uma das causas mais comuns desse vício é a sensação de mundo perfeito que é transmitida pelas redes sociais. Assim, com o passar do tempo, a pessoa prefere trocar as experiências da vida real pela vida virtual. Dessa forma, os smartphones se tornaram o jeito mais fácil e mais prático de saciar essa vontade de viver em mundo com uma realidade perfeita.

Entretanto, é importante ressaltar que há diferenças entre o uso em excesso da tecnologia e o vício em tecnologia. Este último é caracterizado pela dificuldade em controlar um impulso, ou seja, a pessoa não consegue recusar essa vontade e precisa cada vez mais alimentar o vício para sentir prazer.

Como saber se estou viciado?

Essas são algumas das características mais comuns de alguém que está criando o vício ou já está viciado em smartphones:

  •  Preocupação com a internet;
  • Necessidade de aumentar o tempo conectado para ter o mesmo prazer;
  •  Esforços repetitivos para diminuir o uso da rede;
  • Irritabilidade quando o tempo for limitado;
  • Mais tempo on-line do que se pretendia;
  • Relações sociais em risco pelo uso excessivo;
  • Mentir aos outros sobre a quantidade de horas conectadas;
  • Usar a internet como forma de fugir dos problemas ou para se sentir bem

Atividades alternativas ao uso de smartphones

Segundo Renata, para superar esse vício é necessário achar outras atividades que sejam estímulos concorrentes. “A pessoa precisa encontrar algo que substitua o prazer causado pelo uso de smartphones”, complementa a psicóloga.

  • Atividade física : A substância que libera o prazer durante o uso de tecnologias é a mesma que dá a sensação de prazer durante a prática de atividades físicas.
  • Cursos: Invista em cursos, de preferência presenciais, para que a atenção tomada pelo smartphone seja substituída por novos conhecimentos.
  • Leia livros: Dirija a sua atenção aos livros e faça disso algo diário. Substitua as horas investidas nos aplicativos em outras histórias e foque nisso!
  • Crie uma rotina: “É importante que a pessoa tenha uma rotina e deixe o aparelho celular apenas para quando for extremamente necessário o seu uso, decida o momento que você terá acesso”, explica Renata Marasaldi.

É importante que a pessoa avalie sua relação com a tecnologia para descobrir se a mesma está ocupando o espaço das relações pessoais. Caso a pessoa não consiga fazer essa avaliação, é necessário pedir ajuda de pessoas próximas, para que elas ajudem nesse momento de readaptação.

Fonte:http://goo.gl/AncOAq

 


Compartilhe isso:

Como dormir bem com 10 dicas fáceis

Existem mais de 80 distúrbios do sono, porém, os mais frequentes são a insônia, o ressonar e a apneia. A insônia acontece devido às preocupações do dia a dia, o ressono ocorre em função da obstrução das vias aéreas superiores e a apneia é o que se pode chamar de pausas respiratórias durante o período de sono. A mudança de colchão, da almofada ou dos hábitos diários ajudam a resolver esse problema que atormenta milhões de pessoas em todo o mundo. Se é uma delas, siga as nossas dicas de como dormir bem e tenha uma boa noite!

1. Esqueça os problemas e as ansiedades do dia a dia antes de ir para o quarto. Só vá para a cama depois de tomar um banho morno e relaxante.

2. Desligue a TV e os outros aparelhos do seu quarto. As luzes desses aparelhos podem atrasar a produção das substâncias responsáveis pelo aviso de que é hora de dormir.

3. Exercícios físicos devem ser feitos, no máximo, até quatro horas antes de dormir.Antes do sono, só está liberada a atividade sexual, que faz bem para o corpo e é ótima para relaxar a mente.

4. Um bom chá ajuda a descansar. Porém, é preciso escolher as ervas certas. Nada de beber chá preto ou verde. Infusões de melissa e camomila são as ideais.

5. Coma pouco à noite. Faça uma refeição leve, usando ingredientes como aspargos, arroz, batata, aveia e soja.

6. Alimente-se de forma moderada antes de dormir. Aquele bife suculento não deve jamais ser comido à noite, pois a sua proteína ativa o sistema nervoso simpático, responsável por deixar o corpo em estado de alerta.

7. Relaxe o seu corpo. Depois do banho morno, acenda uma lâmpada azul e pingue algumas gotas de óleo de lavanda na almofada. Esta técnica acalma os pensamentos e induz a um sono melhor.

8. Um copo de leite morno ajuda a encontrar o sono tranquilo, pois possui o triptofano (em poucas quantidades), que é um precursor de serotonina, outro neurotransmissor associado ao relaxamento profundo.

9. Evite o álcool. A bebida alcoólica, ao contrário do que muitos pensam, não relaxa. Após alguns goles, ela pode afrouxar as estruturas da região da faringe, comprometendo a respiração. O resultado é o ressonar, que prejudica as fases do sono.

10. Conheça as suas necessidades. Cada um de nós precisa de um tempo mínimo de sono. Procure dormir, pelo menos, sete horas por noite. Vá para a cama sempre no mesmo horário.

O sono perdido é recuperado?

Estudos já comprovaram que não importa quando uma pessoa vai dormir ou despertar. Porém, se ela tem um sono regular e passa a dormir mais tarde, estará sujeita a sentir-se cansada e indisposta durante todo o dia.

Não é possível recuperar grandes perdas de sono. Uma boa maneira de fazer com que se sinta melhor é “tirar uma soneca” em períodos curtos durante o dia. Achar o seu próprio ritmo e dormir regularmente pode ser a chave para um sono ideal durante toda a semana.

Os exercícios ajudam a dormir melhor?

Pessoas com problemas para dormir não devem fazer exercícios durante a noite, pois podem ter dificuldades para relaxar o corpo. Para elas, o mais indicado são actividades que trazem relaxamento, como as aquáticas e yoga.

Almofada – sua melhor amiga

A almofada é fundamental para se ter um bom sono. É preciso considerar o material de que ela é feita e a posição em que será colocada. A altura da almofada tem que permitir que o pescoço fique reto e é melhor que seja larga para não sair do lugar com qualquer movimento do corpo durante a noite.

Fonte: http://goo.gl/PeqfXt


Compartilhe isso:

Estamos no Instagram

A partir de agora você pode acompanhar as novidades da DiCorpo, também, no Instagram. Fique por dentro das últimas novidades da marca. Siga-nos em @dicorpooficial. 


Compartilhe isso:

Entenda como são feitos os exercícios do treinamento funcional

O treinamento funcional é um método de trabalho ainda mais dinâmico que os treinos convencionais. Ele é caracterizado por mesclar diferentes capacidades físicas em um único exercício. Assim, o foco passa de um grupo muscular isolado para todo o corpo - os movimentos trabalham a força muscular, a flexibilidade, o sistema cardiorrespiratório, a coordenação motora e o equilíbrio. 

Na academia há diversos aparelhos que trabalham um músculo por vez e, em geral, os praticantes não precisam pensar muito para realizar os exercícios. Mas para fazer o treinamento funcional são usados apenas alguns acessórios e os exercícios apresentam uma complexidade maior. Apesar dos benefícios do treino global, pode haver um risco maior para lesões. O melhor então é contar sempre com a supervisão de um especialista, um profissional de Educação Física. 

Quem pode fazer?

Além de fatores como idade e sexo, a prática do treinamento funcional tem muito a ver com o histórico de cada praticante. Pessoas que, ao longo da vida, praticaram diversas modalidades esportivas e atividades físicas, certamente se adaptarão melhor a este tipo de treinamento. Devido à complexidade envolvida, esse método não é um dos mais indicados para as pessoas previamente sedentárias. O ideal para este público é se preparar com exercícios mais simples, como a própria musculação, antes de se submeter ao treinamento. 

Em alguns exercícios, a carga de trabalho é exercida pelo próprio peso do corpo somado ao equilíbrio. No entanto, também pode ser realizado com acessórios e até alguns equipamentos específicos que já existem no mercado. Entre os principais acessórios estão a bola suíça, o cinto de tração, a medicine bol, o bosu, o mini trampolim, a theraband e os cones. 

Além da tonificação muscular, o treinamento funcional implica numa maior complexidade do movimento e no envolvimento de várias capacidades físicas. Isso faz com que o organismo tenha um gasto energético muito maior, além de trazer grandes contribuições, como a melhora da flexibilidade, o emagrecimento, a otimização da coordenação motora, o ganho de equilíbrio e o condicionamento cardiorrespiratório. Isso tudo além de motivação e da elevada autoestima. 

Fonte: http://goo.gl/juksKF


Compartilhe isso:

Coleção Outono 2016

A nova Coleção da DiCorpo está no ar! Confira todos os detalhes em http://goo.gl/8w01nt.


Compartilhe isso: