Blog DiCorpo

Se você procura qualidade, inovação e bem-estar,
seja bem-vindo à DiCorpo!

14 alimentos tendência que você vai ver em todo lugar em 2019

É fato que leites vegetais e receitas com abacate, por exemplo, reinaram totalmente em 2018. Mas com um novo ano chegando, também teremos uma nova safra de alimentos tendência. E, francamente, 2019 está se preparando para ser muito delicioso.

Embora a ideia de tendências alimentares possa parecer ridícula – nada é realmente novo, e comida é comida –, segui-las pode ser uma ótima maneira de variar sua dieta, experimentar coisas novas e manter uma alimentação saudável, interessante e divertida.

Tenha em mente: muitas dessas tendências destacam alimentos que têm sido populares em outras culturas por séculos. Eles podem ser novos para você, mas definitivamente já existiam em outros lugares muito antes do Instagram.

14 alimentos tendência de 2019

1. A pasta de amendoim dará lugar às pasta de sementes

A pasta de amendoim é um clássico, e as de castanhas amêndoa e caju têm sido atrativas durante anos. E, enquanto pastas de sementes como girassol e tahini não são novidade – na verdade, tahine tem sido um ingrediente básico na culinária do Oriente Médio por séculos – espere começar a vê-las em todos os lugares em 2019.

“Fique de olho nas pastas de sementes de girassol, abóbora e melancia, que compartilham o mesmo perfil de gordura das outras versões, mas podem oferecer uma alternativa para aqueles com alergias a nozes, por exemplo”, diz o relatório KIND 2019 Healthy Snacking Trend. Os especialistas já estão cientes da nova tendência. Contudo, Miho Hatanaka, nutricionista nos Estados Unidos, recomenda evitar marcas com adição de açúcar. Em vez disso, opte por aquelas feitas apenas com sementes e sal marinho.

2. Comidas “feias” vão brilhar

Empresas de alimentos há muito tempo têm o hábito de destruir ingredientes que não são bonitos o suficiente para vender. Contudo, os consumidores conscientes estão pegando fogo. A batalha contra o desperdício de alimentos não é nova. A campanha wasteW, do chef Dan Barber, por exemplo, incentiva o uso de restos de comida e produtos “feios” em restaurantes. Contudo, ela ganhará ainda mais força em 2019.

A comida bonita não é mais saudável que outras e a redução do desperdício é importante para o planeta. Então, vá em frente com aquelas cenouras tortas.

3. Harissa estará em todas as despensas

Não há necessidade de se livrar do tempero de aves e do cominho moído. Contudo, é bom já criar espaço na despensa para temperos como harissa, dukkah e ras el hanout. Todos eles são muito utilizados na culinária africana.

Harissa – uma pasta levemente picante feita com pimenta vermelha, tomate, pimentão e algumas outras especiarias – pode ser uma substituta do extrato de tomate em quase todas as receitas, além de ter um impacto nutricional similar.

4. Açúcar adicionado terá outro demérito

Os fabricantes não precisam, tecnicamente, listar os açúcares separadamente dos açúcares naturais nas embalagens até janeiro de 2020, de acordo com a FDA. Mas a KIND prevê que você verá a linha de “adição de açúcar” na maioria das etiquetas nutricionais no próximo ano.

Especialistas são totalmente a favor disso. “Açúcares naturais de frutas e vegetais vêm com fibra, o que retarda a digestão e fornece energia estável sem um pico de açúcar no sangue”, explica Germaine Guy, nutricionista nos Estados Unidos. Da mesma forma, os açúcares encontrados em laticínios vêm embalados com proteínas e gorduras satisfatórias. Açúcares adicionados (como de cana e xarope de milho) não adicionam valor nutricional, e é por isso que as diretrizes dietéticas do USDA recomendam limitá-los a menos de 10% do total de calorias diárias.

Dito isso, não há necessidade de enlouquecer totalmente e eliminar todo o açúcar – doces são ótimos com moderação!

5. A água de coco terá concorrência

Durante anos, a água de coco foi comercializada como ótimo hidratante, cura para ressaca e alternativa à água comum. Em 2019, procure outras águas alternativas para assumir o controle da bebida.

O Healthy Snacks Trend Report KIND destaca dois em especial: “água de bordo, que contém menos da metade do açúcar da água de coco, assim como a água do cacto, que é promovida para a revitalização da pele”.

Enquanto essas águas levemente doces não vão te prejudicar, a Academy of Nutrition Dietetics diz ser cautelosa com suas alegações. Essas bebidas não têm mais poder hidratante do que a água natural, além de terem açúcar sem fibra. Portanto, beber demais pode levar a um pico de açúcar no sangue.

6. Vitaminas e suplementos estão de saída

Embora estejamos mais obcecados com o bem-estar do que nunca, o relatório de tendências do KIND prevê que as vitaminas e os suplementos processados devem estar de saída. Em vez disso, estamos mudando para um foco mais aguçado em atender às necessidades nutricionais com alimentos integrais.

Isso não é novo. As diretrizes dietéticas do USDA afirmam claramente que “as necessidades nutricionais devem ser atendidas principalmente por alimentos”, e a Academy of Nutrition and Dietetics aconselha a atender às necessidades nutricionais com uma dieta mais variada possível, em vez de depender de vitaminas e suplementos caros.

7. Os probióticos estarão nas prateleiras, não apenas na sua geladeira

As pesquisas sobre a saúde intestinal estão crescendo em grande parte porque os cientistas estão esperançosos de que uma melhor compreensão do microbioma humano possa levar à melhoria da saúde pública. Durante anos, os probióticos foram apontados como uma ótima maneira de aumentar as bactérias saudáveis no intestino – alimentos fermentados como iogurte, além de pílulas refrigeradas e fórmulas têm sido o método de entrega para essas bactérias.

Para 2019, espere probióticos em produtos de prateleira. “As marcas focadas no bem-estar estão facilitando a obtenção de mais probióticos, adicionando ingredientes funcionais aos produtos básicos como granola, aveia, manteigas, sopas e barras nutricionais”, diz o último relatório de tendências de 2019 da Whole Foods.

Embora provavelmente não haja nada de errado com flocos de milho enriquecidos com probióticos, a ciência ainda está nos estágios iniciais, e realmente não há como ter certeza de que você está recebendo mesmo as bactérias saudáveis com esses alimentos.

Procure rótulos que digam “culturas vivas e ativas”, orienta Bonnie Taub-Dix, nutricionista nos Estados Unidos. Isso significa que há, pelo menos, 100 milhões de bactérias por grama.

8. A jaca será o novo substituto de carne

“A jaca é uma alternativa popular à carne, já sendo usada no lugar de itens como carne de porco desfiada de churrasco”, de acordo com o relatório da Whole Foods. A fruta é nativa do sudeste da Ásia e também é cultivada em partes da África e da América do Sul. Os americanos o usam como substituto da carne há alguns anos (graças a uma textura fibrosa que imita carne de porco ou carne bovina), mas 2019 será o ano em que a jaca puxada realmente decola.

“A jaca é uma boa fonte de ferro, cálcio e vitaminas do complexo B, e usá-la como um substituto para a carne ajuda a reduzir calorias e gordura saturada de sua dieta”, diz Taub-Dix. “No entanto, deve-se notar que a jaca tem um teor de proteína muito menor em comparação com carne. São 2,8 gramas por porção contra cerca de 21 gramas, bem como 31 gramas de açúcar por xícara.”

9. Sua cesta de frutas terá uma pegada tropical

Cansada de açaí? Você pode estar com sorte. A Whole Foods está prevendo que frutas tropicais como goiaba, pitaya, carambola e maracujá serão o centro das atenções em 2019.

Se você está cansado da sua maçã, troque por uma dessas frutas tropicais de vez em quando. “Frutas diferentes têm perfis nutricionais ligeiramente diferentes, mas todas são ricas em fibras, vitaminas e carboidratos saudáveis”, explica Keri Gans, nutricionista e autora de The Small Change Diet (EUA).

10. Substitutos de carne serão seu lanche

De acordo com o relatório da Whole Foods, lanches como crepes à base de cogumelos, carne seca à base de soja e “bacon chips” de cogumelos continuarão ganhando força em 2019, como uma alternativa aos tradicionais lanches de carne.

“A proteína que vem de alimentos vegetais pode suprir sua ingestão diária”, diz ela. Embora não sejam proteínas completas, tem todos os aminoácidos essenciais ao ingerir vários tipos diferentes.

11. Sua experiência no supermercado terá alta tecnologia

A contagem de calorias funciona para algumas pessoas. Já outras não querem estar totalmente informadas sobre o que estão comendo o tempo todo. A Kroger está tentando tornar a alimentação saudável um pouco mais fácil com seu novo aplicativo, o OptUP, que acompanha os mantimentos que você compra e usa as informações personalizadas para fazer sugestões para trocas saudáveis e melhores escolhas alimentares.

Allison Kuhn, nutricionista e diretora de nutrição da Kroger (EUA), explica que o aplicativo leva em consideração seu padrão atual de compra e alimentação, e tem como objetivo levá-lo a escolhas um pouco mais saudáveis. “Trata-se de alcançar um equilíbrio saudável em geral”, diz ela. Logo, não é sobre registrar todos os alimentos que você consome e se sentir culpada por suas escolhas.

12. Frozens de abacate, hummus e água de coco invadirão os freezers

Sorvetes livres de laticínios, feitos com leites alternativos, estão finalmente acertando nos departamentos de sabor e textura, de acordo com o relatório de tendências Whole Foods.

Este ano, as marcas levarão as coisas um passo adiante ao experimentar novas bases de sorvete, como homus, abacate e tahine. “Eu amo isso, porque quando sua base é algo denso em nutrientes, como grão de bico ou abacate, é garantido que você está recebendo coisas boas”, diz Kuhn. Ela explica que as guloseimas congeladas são uma ótima maneira de as marcas experimentarem diferentes ingredientes, porque não estragam como acontece com os alimentos frescos.

13. Hummus de sobremesa será A tendência

Embora não haja nada de errado em se acabar em um chocolate quando der vontade às vezes, Kuhn adora as novas opções de hummus de sobremesa e acha que elas ficarão ainda mais populares no novo ano.

Essas sobremesas à base de grão de bico geralmente contêm adição de açúcar, então não são exatamente um alimento saudável, mas também contêm fibras e proteínas que não são encontradas na sobremesa tradicional.

14. Você pode finalmente aprender a fazer pão

“A panificação está em ascensão, especialmente quando se trata de massa fermentada”, segundo as 100 principais tendências do Pinterest para 2019. Kuhn concorda que as pessoas estão cada vez mais interessadas em cozinhar mais em casa e que assar pão pode ser uma deliciosa experiência culinária.

Mas ela diz que ainda é possível comprar bons pãos. “No mercado hoje, há muitas opções extremamente saudáveis”, diz ela. Procure por 100% de grãos integrais no rótulo e misture experimentando um pão assado com um grão novo.

 

Fonte: https://bit.ly/2QJH9rj


Compartilhe isso:

Dez atitudes para aumentar a autoestima e ser mais feliz

Autoestima é uma avaliação positiva ou negativa que uma pessoa faz de si mesma em algum grau a partir de emoções, ações, crenças, comportamentos ou qualquer outro tipo de conhecimento de si próprio.

A autoestima ou valor dado a cada pessoa por si mesma é fundamental para o bem-estar mental e físico de qualquer pessoa, já que a aceitação de si mesmo se reflete em cada aspecto da vida.

Desde que nascemos, nossa vida nos determina condições para sermos estimados. Só seremos bem tratados e cuidados se formos obedientes, se sentarmos direito, se nos alimentarmos como desejam, se estudarmos, trabalharmos, se temos sucesso pessoal e profissional. Entretanto, segundo a escola humanista da psicologia de Rogers:

Todo ser humano, sem exceção, pelo mero fato do ser, é digno do respeito incondicional dos demais e de si mesmo; merece estimar-se a si mesmo e que se lhe estime.

O que é autoestima?

Na visão da psicanálise, a autoestima está relacionada diretamente ao desenvolvimento do ego. Sigmund Freud utilizava a palavra alemã Selbstgefühl, especificando dois significados: consciência de uma pessoa a respeito de si mesma (sentimento de si), e vivência do próprio valor a respeito de um sistema de ideais (sentimento de estima de si). Este “sentimento de estima de si” que descreve Freud é a autoestima.

A percepção de nós mesmos a partir de nossos modos de agir e pensar é o que gera sentimentos de inferioridade ou superioridade,autocrítica, autocensura, narcisismo ou egoísmo. Todas essas características influenciam diretamente em nossas experiências, no bem-estar e na nossa qualidade de vida.

Os pilares da autoestima

Potreck-Rose e G. Jacob (2006) propõem uma abordagem psicoterapêutica para baixa autoestima baseada no que elas chamam de “os quatro pilares da autoestima”. Esses pilares são:

1. Autoaceitação

Uma postura positiva com relação a si mesmo como pessoa. Inclui elementos como estar satisfeito e de acordo consigo mesmo, respeito a si próprio, ser “um consigo mesmo” e se sentir em casa no próprio corpo;

2. Autoconfiança

Uma postura positiva com relação às próprias capacidades e desempenho. Inclui as convicções de saber e conseguir fazer alguma coisa, de fazê-lo bem, de conseguir alcançar alguma coisa, de suportar as dificuldades e de poder prescindir de algo;

3. Competência social

É a experiência de ser capaz de fazer contatos. Inclui saber lidar com outras pessoas, sentir-se capaz de lidar com situações difíceis, ter reações flexíveis, conseguir sentir a ressonância social dos próprios atos, saber regular a distância-proximidade com outras pessoas;

4. Rede social

Estar ligado a uma rede de relacionamentos positivos. Inclui uma relação satisfatória com o parceiro e com a família, ter amigos, poder contar com eles e estar à disposição deles, ser importante para outras pessoas.

autoestima

Os dois primeiros pilares representam a dimensão intrapessoal da autoestima, os dois outros sua dimensão interpessoal. O tratamento consiste em diferentes exercícios que têm por fim capacitar a pessoa a realizar cada um desses passos dos diferentes pilares. Mas antes de se começar o trabalho no primeiro pilar, há um trabalho preparatório dedicado à formação do amor-próprio ou cuidado consigo mesmo (em alemão, Selbstzuwendung), que se desenvolve em três passos:

    1. tornar-se atento e consciente das próprias emoções, sentimentos, sensações, necessidades corporais e psíquicas;
    1. relacionar-se respeitosa e amorosamente consigo mesmo; e
  1. cuidar de si.

Os exercícios incluem técnicas de relaxamento, mindfulness, técnicas para lidar com o crítico interno e de se tornar consciente das partes positivas de si, e muitas técnicas de reestruturação cognitiva e de auto reforço, típicas da terapia cognitivo-comportamental.

Como melhorar a autoestima?

Pessoas que possuem alta autoestima costumam ser mais fortes, resistir à situações adversas por acreditarem mais em seu próprio potencial de mente e ação. Mas como praticar uma boa autoestima? Aqui vão 10 atitudes que podem te ajudar.

1. Elimine a culpa

Um dos principais motivos para uma baixa autoestima é o sentimento constante de culpa. Seja por não estar fazendo algo ou por aquilo que foi feito, é muito comum segurarmos a sensação de que somos culpados pela vida que estamos levando. Procure eliminar esse sentimento, abraçando cada vez mais a leveza de sermos seres livres e que, se estamos agindo de forma danosa para nós ou para o outro, a oportunidade de mudança está presente a cada novo segundo.

2. Não se compare com os outros

O mundo em que vivemos é sustentado pela competitividade. Isso nos faz acreditar que nosso próprio sucesso pessoal ou profissional só será alcançado quando superarmos o de outras pessoas. Deixe as comparações todas de lado. Cada ser é tão único, complexo, cheio de experiências, dores e felicidades como você. A alegria de uma pessoa não é a mesma da outra, assim como o sofrimento. Quando se trata da vida, não existe base de comparação: faça o que te faz bem. 

3. Não generalize suas experiências

Não é porque você cometeu um erro no passado que agora irá cometê-lo novamente. Não estamos aprisionados nos conceitos que criaram para nós ou que nós mesmos criamos. Podemos nos movimentar o tempo todo e visualizar as situações dessa forma ajuda para que esse movimento se torne mais natural, mais leve.

4. Confie em si mesmo

Não espere que os outros te deem a motivação necessária para agir. Encontre forças em si para confiar nos seus movimentos e levar sua vida para onde você deseja. É muito mais fácil conseguir alcançar seus objetivos quando sua mente já está inclinada em acreditar no seu sucesso. 

5. Seja mais compassivo com seus erros

Não foi dessa vez? Não deixe que um erro cometido seja razão para que você desanime. Se você consegue perdoar os outros, precisa conseguir perdoar a si mesmo também. Desenvolver um olhar compassivo para suas atitudes vai te fazer viver melhor. 

6. Entenda o que funciona para você

O que te faz se sentir mais autoconfiante é praticar um exercício? Aprender algo novo? Fazer alguma atividade em que você já tem domínio? Ter um contato mais próximo com uma comunidade? Praticar a solidariedade? Encontre o que funciona para a sua situação e volte a isso sempre que sentir sua autoestima diminuindo. 

7. Seja sincero consigo mesmo

Da mesma forma que mentir para os outros é prejudicial, mentir para nós mesmos também nos faz cair em situações danosas. Seja sincero com suas dificuldades e facilidades. Abrace suas fraquezas e suas forças, alimentando o equilíbrio da mente com relação à cada uma delas, sem se entregar ao narcisismo e sem se abalar pela autocrítica excessiva. 

8. Comece a agradecer

Ser grato tem a força de cultivar melhores experiências. Quando notamos todo o bem que há ao nosso redor, especialmente o bem que há dentro de nós e nas ações que fazemos no mundo, somos mais felizes e conseguimos nos impulsionar para melhores atitudes.

9. Comemore suas vitórias

Certamente sua vida não foi só feita a partir de erros. Só o fato de você existir e estar vivo já é uma vitória para ser comemorada. Faça com que cada novo objetivo alcançado seja um impulso positivo e contente, que te leve em direção de seu equilíbrio físico e mental. 

10. Viva no presente

O mais importante ato de crescimento da autoestima é viver no agora. Não importa o que já foi feito ou o que irá acontecer, o que você pode fazer neste momento para ser mais confiante e se alegrar mais por seu próprio ser? Viver no presente é o melhor presente que você pode dar a si.

A autoestima é como uma flor que precisa ser regada. Depois que você começa a fornecer água, ela cresce e se espalha por toda a sua vida de forma positiva. Comece a alimentar esse cuidado de si e perceba como tudo fica mais simples e bonito.

Fonte: https://bit.ly/2sZCKHx


Compartilhe isso:

Confira dez dicas de saúde para o verão

Corpo saudável, viagens de férias, sol, praia e piscina são a combinação perfeita para o verão. No entanto, é necessário tomar cuidados especiais antes de aproveitar as vantagens deste período. Confira alguns deles e aproveite este e os próximos verões:  

Atividades físicas 

Antes de realizar exercícios físicos, a hidratação deve ser reforçada. Em média, a água ingerida consegue hidratar o corpo por até uma hora de atividades. Após isso, ela sozinha já não consegue repor os sais minerais perdidos. Uma alternativa é ingerir alimentos como maçã, torradas ou bolachas de sal. 

Respeite seu limite. O calor acelera a dilatação dos vasos sanguíneos, o que é bom, pois ajuda a ativar os músculos e os neurônios. Mas também pode provocar desidratação, superaquecimento do corpo e fadiga precoce.  

Encontre um local adequado para as atividades físicas. Parques e praças com muitas árvores são boas opções para fugir do calor

Viagens 

Antes de viajar, confira se o destino é uma região de risco e se é necessário tomar alguma vacina. A ocorrência de algumas doenças, como a febre amarela, é mais comum no verão.  

No trajeto, fique atento à água não tratada e a bebidas preparadas com gelo de origem duvidosa.

Se a viagem for muito longa, faça paradas e se movimente para evitar inchaços, que são mais comuns no calor.   

Praias, piscinas e cachoeiras 

Não tome banho após refeições pesadas. Isso evita choques de temperatura no corpo.  

Verifique a profundidade antes de mergulhar em rios e cachoeiras.

Cuidado com águas muito geladas. Elas podem causar câimbras nas pernas. 

Antes de comer na praia, certifique-se de que não possui restrição alimentar. Peixes e frutos do mar podem causar alergias e, em situações mais extremas, até problemas neurológicos. 

Fonte: https://bit.ly/2sZCKHx


Compartilhe isso:

6 DICAS DE ALIMENTAÇÃO NO VERÃO PARA SE MANTER SAUDÁVEL

Todo ano, quando o verão se aproxima, nos deparamos com inúmeras pessoas falando sobre dietas, emagrecimento e muita vontade de estar com um corpo esteticamente mais bonito para as praias, clubes e roupas mais leves.

A verdade é que, independentemente dos planos para o verão de cada um, muito mais importante do que os fatores estéticos é a saúde. Medidas que promovem um corpo mais saudável devem ser mantidas não somente no período que antecede as altas temperaturas como também durante todo o verão.

Pensando nisso, preparamos o post de hoje para ajudar você a manter a saúde do seu corpo nos dias mais quentes do ano. Vamos te contar 6 dicas de alimentação no verão. Confira!

1. Consuma frutas, verduras e legumes

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo diário de verduras, frutas e legumes (com exceção da batata e outros tubérculos) deve ser superior a 400g para que possamos manter o nosso organismo saudável.

Essa recomendação leva em consideração que esses alimentos são grandes responsáveis pelo fornecimento de fibras, vitaminas e sais minerais ao nosso corpo.

E tem mais: a ingestão variada desses grupos alimentícios também nos ajuda a diminuir o consumo de alimentos prejudiciais a nossa saúde, já que possuem grande densidade nutricional, dando ao nosso corpo a sensação de saciedade e diminuindo a vontade de alimentos altamente industrializados, ricos em açúcares e gorduras artificiais.

Uma dica é ficar atento ao consumo de frutas que, apesar de serem opções muito saudáveis, são ricas em açúcares e devem ser consumidas com moderação, principalmente por pessoas com doenças crônicas associadas ao metabolismo de insulina, como o diabetes. Boas opções são frutas vermelhas — como morangos e framboesas —, além de abacate, mirtilo, ameixa, etc. 

2. Opte por carboidratos de qualidade

Os carboidratos não são vilões e, quando consumidos de maneira correta, podem ser muito benéficos para nossa saúde. A dica é sempre procurar por carboidratos mais naturais e evitar o consumo daqueles altamente processados, refinados e industrializados.

Ao consumir pães, massas e arroz, por exemplo, dê prioridade às opções integrais que são aquelas que conservam melhor as propriedades dos grãos, mantendo fibras e nutrientes, fazendo com que a liberação de açúcar seja mais lenta e que você tenha energia por mais tempo.

Considere o consumo de laticínios sem adição de açúcares, como leite, iogurte natural e queijos brancos. Para essa categoria, a dica é: quanto menos ingredientes na composição, melhor.

E não se esqueça das leguminosas e dos grãos como feijão, grão-de-bico, lentilha, ervilha e outros.

Também vale a pena substituir aqueles carboidratos comuns por opções como batata doce ou aipim – assim como os grãos integrais, liberam o açúcar de maneira mais lenta.

3. Diminua a ingestão de gorduras ruins

Gorduras são fundamentais para o funcionamento do nosso organismo e fazem parte de processos de regulação hormonal, da proteção de tecidos e do transporte de substâncias no nosso corpo.

Porém algumas gorduras, como a gordura trans — presente em biscoitos recheados, salgadinhos e outros alimentos industrializados —, são altamente prejudiciais a nossa saúde.

O ideal é consumir gorduras insaturadas, como aquelas presentes em azeite de oliva, abacate, oleaginosas e também ficar atento ao consumo de gorduras essenciais, como aquelas presentes em peixes.

É sempre bom lembrar que muitas pessoas não se sentem bem ao consumir alimentos gordurosos nos dias muito quentes; por isso, o consumo deste macronutriente deve ser feito com cuidado e atenção às suas individualidades.

4. Evite alguns alimentos

Quando falamos em alimentação no verão, não podemos deixar de falar daqueles alimentos que devem ser consumidos com muita moderação e que não devem fazer parte da rotina alimentar de ninguém.

Opções ricas em açúcares, fortemente processadas, com muita gordura hidrogenada e trans são exemplos de alimentos que não trazem benefícios nutricionais para o corpo e que estão associados com a presença de inúmeras doenças – como obesidade, diabetes e hipertensão.

Por isso, evite consumir:

  • doces;
  • frituras;
  • refrigerantes;
  • biscoitos recheados;
  • salgadinhos;
  • sorvetes;
  • sucos artificiais;
  • achocolatados.

Mas lembre-se de que não é preciso excluir definitivamente esses alimentos da sua vida. O que propomos aqui é que o consumo seja equilibrado e que essas opções façam parte de alguns momentos, sem que se tornem hábito.

5. Consuma proteínas

As proteínas possuem funções estruturais, enzimáticas, fazem parte do transporte de substâncias, ajudam na regulação hormonal e são essenciais para a manutenção dos músculos e da massa magra em geral.

Sendo assim, o consumo deste macronutriente deve fazer parte da rotina de todos nós. Como no caso dos carboidratos e das gorduras, é extremamente importante ficar atento à qualidade da proteína.

Carnes magras, peixes, leite, amêndoas, lentilhas e muitos vegetais são opções saudáveis para quem deseja manter a ingestão proteica em dia.

Caso você pratique muitos exercícios físicos, também pode consultar um nutricionista para ter certeza de que está consumindo proteína suficiente para a sua rotina.

6. Mantenha-se hidratado

A nossa última dica é também uma das mais importantes para quem deseja manter a saúde e aproveitar o verão. Nos dias muito quentes, a transpiração tende a aumentar consideravelmente e, dessa forma, perdemos muita água em forma de suor.

Se levarmos em consideração que 60% do nosso corpo é composto de água e que essa substância está presente em todas as reações que acontecem no nosso organismo, fica fácil entender o perigo da desidratação. Você pode evitar este desgaste físico com a ingestão de líquidos diariamente, não só nos períodos de calor.

E se você é parte das pessoas que se esquecem de beber água, tenha sempre uma garrafinha por perto. Outro ideia é apostar em alimentos que também ajudam a hidratar, como melancia, melão, folhas verdes e outros.

A alimentação no verão pode ser sua aliada na hora de manter a saúde em dia e aproveitar toda a energia boa da estação mais quente do ano. Faça escolhas conscientes, cuide da sua saúde e dê atenção em dobro para a hidratação.

E se você gostou das nossas dicas, não deixe de compartilhar o nosso post nas redes sociais para que os seus amigos também possam aproveitar o verão com muita saúde e disposição!

Fonte: https://bit.ly/2BIx9dD


Compartilhe isso:

10 dicas poderosas para aumentar a autoestima

 

Em meio à correria do dia a dia, é raro que paremos para cuidar de nós mesmas. Costuma ser quando a gente fica doente – ou então quando bate aquela badzinha – que a pausa na rotina é forçada, e aí você se vê obrigada a rever a forma como está agindo.

Cuidar de si mesma, dos seus pensamentos e das suas atitudes, no entanto, é algo que aumenta nossa autoestima e, consequentemente, ajuda a realizar todas as atividades da mesma correria do dia a dia com mais calma, clareza e, evidentemente, confiança. Separamos 10 dicas importantes para você começar a cuidar mais de si mesma – e para conseguir se amar cada dia mais e mais!

1. Mantenha a postura retinha

Um estudo conduzido pelas Universidades de Harvard e Columbia mostrou que apostar na força da linguagem corporal para simbolizar poder realmente afeta as decisões do nosso inconsciente. De acordo com a pesquisa, quem faz isso tem chances 45% maiores de se arriscar na vida e de experimentar!

2. Faça exercício físico

Não precisa ser nenhuma musa fitness, não. Fazer exercícios físicos é imporante para liberar endorfinas no corpo – e isso também dá a sensação de cuidado. Na yoga, existem posições específicas para aumentar a autoconfiança, como as retroflexões, e também o equilíbrio emocional, como todas aquelas que fortalecem o abdômen.

3. Dê agradinhos a si mesmo

Permita-se uns agradinhos de vez em quando. Nem que seja uma paçoca depois do almoço, aquela blusinha linda que você encontrou na promoção ou um almoço no quilo mais gostosinho das redondezas…

4. Imponha limites mais aceitáveis à sua autocrítica

É óbvio que ser crítica consigo mesma é importante – caso contrário, as pessoas simplesmente sairiam por aí, inconsequentes, fazendo um monte de asneiras. Mas perfeito ninguém é. Vamos relaxar um pouco?

5. Faça pausas em meio às obrigações do cotidiano

Desacelere para cuidar de si mesma: pode ser através do alongamento da coluna, a cada uma hora de trabalho; de uma caminhada silenciosa, depois do almoço; do preparo de um cházinho para acalmar o coração; de um sorvetinho especial naquele dia de sol ou da leitura diária, antes de dormir…

6. Valorize-se

Eu sou uma deusa, uma guerreira gloriosa

Toda noite, tente escrever três caracerísticas suas que, ao longo do dia, te ajudaram ou deixaram feliz. Pode parecer bobo, mas esse exercício ajuda a valorizar traços da sua personalidade que, ao longo do tempo, você simplesmente esquece e passa a achar “normais”.

7. Lide com os erros como parte da vida

Errando II – Errando o ato de errar

Não fique se martirizando: errar é preciso. Como sempre disse a mãe da repórter que vos escreve, só erra quem tenta – e que bom que você está tentando. Tente perdoar e cuidar de si mesma da mesma forma como um pai ou mãe faz com seu filho. Quebrar a cara é importante também, porque é assim aprendemos – além de evitar que o problema se repita no futuro.

8. Pare de se comparar com as outras pessoas

É mais fácil falar do que fazer (como a maioria dessas dicas), mas vale MUITO à pena tentar. Sentir-se diminuída ao se deparar com a beleza de outra mulher, por exemplo, não é legal, amiga. Cada um é bonito, interessante e feliz à sua própria maneira – e criar rankings imaginários de pessoas não vai te levar a lugar algum.

9. Saiba escolher suas companhias

É saber escolher as pessoas com quem você passa o seu tempo – e, acima de tudo, o que compartilha com cada uma delas. Mais importante (e, bem, responsável) do que “seja você mesmo”, esse conselho deveria ser proferido com mais frequência: preste atenção e escolha direitinho as pessoas ao lado de quem você vai realmente agir de forma 100% espontânea.

10. Tenha certeza: é normal (e saudável!) se sentir triste, desanimada ou cansada às vezes

Tudo machuca e eu estou morrendo

Faz parte da vida, mas cobrar de si mesma que tudo seja cor-de-rosa (ou pior: achar que você não tem o “direito” de se sentir para baixo) só vai tornar tudo mais difícil. Vai passar, miga. Todo mundo tem seus momentos.

 

Fonte: https://abr.ai/2IHVHrC


Compartilhe isso: