Blog DiCorpo

Se você procura qualidade, inovação e bem-estar,
seja bem-vindo à DiCorpo!

Sedentarismo

O sedentarismo custa à economia global US$ 67,5 bilhões (R$ 220 bilhões) todo os anos, mais do que o PIB do Paraguai. Desse total, US$ 58,8 bi são gastos anualmente em cuidados médicos decorrentes da inatividade prolongada, além de US$ 13,7 bi que são perdidos todos os anos em produtividade.
 

As estimativas são parte de uma série de estudos publicada na revista científica Lancet , que revela ainda que o sedentarismo mata todos os anos cerca de 5 milhões de pessoas ─ um número de mortes equivalente ao do tabagismo e maior do que o da obesidade.

A pesquisa chama atenção para os malefícios do sedentarismo e o perigo de morte que ele representa. Os cientistas ressaltam que passar mais de oito horas por dia sentado aumenta as chances de morte prematura em 60%.

Mas o artigo da Lancet revela ainda que exercitar-se durante uma hora por dia pode contrabalançar os efeitos nocivos de trabalhar sentado por longos períodos.

Uma equipe formada por cientistas de diferentes países descobriu que o risco de morte era de 9,9% para quem permanecia sentado por 8 horas por dia e mantinha um estilo de vida sedentário.

Já quem permanecia sentado pela metade do tempo (4h) e se mantiva ativo por 1 hora por dia, tinha o risco de morte reduzido para 6,8%.

Os pesquisadores também descobriram que o aumento do risco de morte associado a ficar oito horas sentado por dia foi completamente eliminado nas pessoas que fizeram pelo menos uma hora de exercício físico diariamente.

Eles acrescentam que, atualmente, o sedentarismo constitui uma ameaça tão grave à saúde pública quanto o tabagismo e já mata mais do que a obesidade.

Intervalo

Os cientistas recomendaram a quem passa muitas horas trabalhando sentado fazer um intervalo de cinco minutos a cada hora, além de se exercitar durante o almoço e à noite.

Responsável pela pesquisa, o professor Ulf Ekelund, da Escola Norueguesa de Ciências do Esporte e da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, disse que não é necessário "ir à academia" para compensar o prejuízo de trabalhar longas horas sentado.

"Você não precisa fazer um esporte. Você não precisa ir à academia. Você pode fazer uma simples caminhada, talvez durante a manhã, durante o horário do almoço, ou depois do jantar à noite. Você pode dividir isso durante o dia, mas precisa fazer pelo menos 1 hora de atividade física para obter os efeitos positivos".

O estudo analisou dados de 15 pesquisas anteriores, muitas das quais envolvendo pessoas cima de 45 anos dos Estados Unidos, da Europa Ocidental e da Austrália.

Os autores descobriram que uma hora de exercício de "intensidade moderada", como caminhar a 5,6 km/h ou andar de bicicleta por prazer a 16 km/h, foi suficiente para contrabalançar os efeitos nocivos de permanecer sentado por longos períodos.

Ekelund disse ainda que um intervalo de cinco minutos a cada hora fechada, mesmo que seja ir buscar documento na impressora, poderia trazer benefícios à saúde do funcionário.

Mudanças

Os cientistas afirmaram que a combinação de passar muitas horas trabalhando sentado e ainda assistir à TV à noite sentado no sofá de casa vem se provando letal.

Eles cobraram maiores mudanças nas políticas do governo, de modo a estimular hábitos saudáveis, como aumentar a distância entre os pontos de ônibus para forçar as pessoas a andar mais, fechar o acesso de ruas a veículos durante o fim de semana e abrir academias de ginástica gratuitas nos parques.

Segundo os pesquisadores, os empregadores também devem encorajar os funcionários a realizar atividades físicas, ao fornecer chuveiros e academias, além de estimular intervalos mais longos.
 

Fonte: http://goo.gl/L13ntM


Compartilhe isso:

Como manter a saúde mental e emocional

Para ter uma vida melhor é preciso estar com a saúde em dia. E ao falar de saúde não se deve pensar apenas numa abrangência física. O organismo humano é um todo composto por aspectos fisiológicos, mentais, emocionais e espirituais. Portanto, para estar com uma boa saúde é preciso considerar esses quatro aspectos. Hoje falaremos sobre a saúde mental e emocional e relacionar dicas para mantê-las.

De acordo com Wilfredo Rodriguez, em seu artigo “Como manter a saúde mental”, no site Saúde e Lar, afirma que saúde mental “consiste numa relação equilibrada entre as emoções (sentimentos), atitudes (pensamentos) e ações (comportamentos)”. Sendo assim, deduzimos que a mente e a emoção andam bem próximas. Muitas são as causas que podem ocasionar problemas mentais, dentre eles traumas psicológicos do passado, situações de forte desiquilíbrio emocional e também outras causas de cunho genético. Todos nós estamos passivos a ter comprometimentos mentais, assim como podemos adotar comportamentos preventivos para nos manter saudáveis, tanto no aspecto mental como emocional.

Saúde emocional não é a mesma coisa que saúde mental, mas ambas estão relacionadas, afinal, uma pessoa mentalmente doente não pode estar emocionalmente saudável. Na verdade, muitas vezes são os problemas de ordem emocional que causam as complicações mentais. Por isso é muito importante cuidar tanto de uma como de outra. Veja como a OMS (Organização Mundial de Saúde) define saúde emocional:

“Saúde emocional é um estado de bem-estar onde o indivíduo realiza suas próprias habilidades, lida com os fatores estressantes normais da vida, trabalha produtivamente e é capaz de contribuir com a sociedade.”

Algumas pessoas se encontram em estágios onde é indispensável a interferência de um profissional, mas quando não é este o caso, pode-se evitar que muitos problemas surjam no decorrer da vida. E não são atitudes difíceis. Na verdade, todos nós podemos adotá-las no dia a dia.

Melhore o pensamento

O pensamento atua como um ponto de partida. Pensamos, sentimos e depois exteriorizamos. Nossas emoções vêm do pensamento. Se alimentarmos hábitos negativos, ou melhor, pensamentos negativos, eles irão com o tempo se tornar uma realidade, seja através de palavras ou de ações. Se você quer ter saúde mental e emocional evite o negativismo.

Seja otimista

Adote pensamentos de esperança e otimismo, mesmo quando a situação não for favorável. Lembrando que este é um processo diário e que deve ser mantido em todos os segmentos, seja no lar, no trabalho ou em sociedade. Da mesma forma que acostumamos e ficamos viciados com o negativo, acontece com o positivo, basta praticar.

Faça o que gosta

É preciso ter satisfação na vida. Ela é uma emoção que faz com que a pessoa sinta bem-estar, amor por si e pelos outros. Ter um hobby, fazer uma atividade física, sair com os amigos ou com a família, todos esses são hábitos que geram satisfação e vontade de desfrutar bem os prazeres da vida.

Evite o isolamento

A solidão é uma experiência que deve ser vivida dentro dos seus limites e é necessária muita maturidade para isso. Mesmo que você goste dos seus momentos de solidão, nunca deixe ultrapassar a normalidade. Procure pessoas, faça amigos, esteja com eles, converse, se distraia.

Tenha sonhos e objetivos

Os sonhos alimentam nossa alma, nos faz ter vontade de viver e predisposição para a felicidade. Pense no que você quer conquistar, anote suas metas, estabeleça prazos. Ocupe-se com os seus sonhos e corra atrás deles.

Na verdade existem muitas formas de prevenir problemas de ordem mental e emocional. Neste artigo relacionamos o que é indispensável para o equilíbrio neste aspecto. Muitos hábitos podem ajudar como ter um animal de estimação, estabelecer um diálogo saudável em família, estudar, fazer parte de um grupo, enfim, são muitas as possibilidades e isso pode variar de acordo com cada pessoa. O que importa é ter a consciência de que o cuidado é a chave para uma boa saúde. Não dê muita importância ao que é negativo, não comprometa sua saúde alimentando raiva e ressentimentos. Lembre-se que a harmonia parte do comportamento de cada um de nós.

Fonte: https://goo.gl/h04amA


Compartilhe isso:

5 dicas para desestressar

Vai longe o tempo em que o estresse era associado quase exclusivamente a executivos e empresários. Hoje se sabe que até mesmo as crianças são suscetíveis ao problema.

Se antigamente a tensão estava relacionada apenas com doenças do sistema nervoso, nos últimos anos diversos estudos mostraram que o coração pode sofrer bastante. O sistema imunológico também é afetado, o que serve de estopim para infecções oportunistas, como as gripes.

Para não ficar vulnerável aos estragos do nervosismo do cotidiano, existem soluções bem simples. Uma pesquisa realizada pelo International Stress Management Association no Brasil (ISMA-BR) com 1,2 mil pessoas mostrou que a redução no uso do computador, do celular e de outras tecnologias teve efeitos benéficos e ajudou a atenuar dores musculares, insônia, ansiedade e cansaço.

Confira agora mais 5 estratégias antiestresse:

1 – Respire fundo
Expire pela boca contando até dez e esvaziando ao máximo os pulmões. Em seguida, inspire pelo nariz, inflando bem o abdômen. Conte até cinco enquanto faz o movimento. Solte todo o ar e repita a respiração completa mais seis vezes. Além de se tranquilizar por um instante, você manda mais oxigênio para o cérebro funcionar melhor.

2 – Relaxe os músculos
Foque cada parte do corpo para sentir se há algum nó de tensão e, mentalmente, tente desfazê-lo. Comece pela face. Contraia a musculatura por dois segundos. Relaxe. Passe para outros pontos até chegar aos pés. Quando você relaxa a musculatura, a mente se beneficia.

3 – Visualize o relax
Imagine uma luz colorida, que entra pelo topo cabeça e percorre todo o corpo, relaxando cada região por onde passa.

4 – Coma cereais integrais
Trigo, aveia, cevada e outros grãos oferecem nutrientes indispensáveis em períodos tensos. Há desde o carboidrato até as vitaminas do complexo B, que interferem com substâncias do cérebro e trazem bem-estar. Sem falar que os integrais fornecem o magnésio, mineral que dá um basta ao nervosismo.

5- Caminhe
Essa atividade física é uma excelente forma de liberar endorfinas, um grupo de substâncias que banha o corpo de bem-estar.

Fonte: http://goo.gl/hicBPi 

 


Compartilhe isso:

10 dicas para se manter saudável no ambiente de trabalho

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a tendência ao sedentarismo cresce exponencialmente, tornado-se hoje o quarto maior fator de risco de mortalidade. Estudos revelam que pelo menos 21% dos tumores malignos na mama e no cólon, 27% dos casos de diabetes e 30% das queixas de doenças cardíacas são resultados do sedentarismo. Aliar hábitos saudáveis à rotina do escritório não é um tarefa fácil, já que o tempo nem sempre está a favor.

Segundo especialistas sobre o assunto, a adoção de exercícios saudáveis no trabalho ajuda a prevenir o cansaço, a fraqueza, o sono e a falta de concentração, além de proporcionar bem-estar, bom humor e autoestima,  tornando o trabalho mais produtivo e prazeroso. Em contrapartida, uma rotina sedentária facilita o desenvolvimento de doenças como diabetes, hipertensão, dislipidemia, infarto, AVC e artroses.

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e o Instituto Minha Escolha criaram a Campanha Escolha Saúde, uma iniciativa que busca incentivar a adoção de medidas mais saudáveis e a fuga dos hábitos sedentários e calóricos.

Confira algumas dicas:

1. Evite excessos
Se você sente muito “sono” ou “preguiça” ao trabalhar depois do almoço, saiba que isso se chama alcalinidade pós-prandial. Sua circulação se dirige mais ao aparelho digestivo e o restante do organismo fica mais lento. Portanto, observe a quantidade de comida que você ingere nesta refeição, o excesso pode aumentar esse efeito.

2. Mexa-se o máximo possível
Prefira utilizar as escadas ao invés do elevador. Se o seu escritório ficar em um andar muito afastado do térreo, desça do elevador alguns andares antes e siga o restante a pé. Com isso, você irá observar a diferença na queima de calorias ao final de um mês ou um ano.

3. Atenção à postura
Muitas pessoas são acometidas por dores no corpo, principalmente nas costas, e somente depois de algum tempo percebem que sua postura estava errada.

4. Lugar de comer é na mesa
Comer em frente ao computador não é recomendável. Mesmo almoçando no escritório, é importante reservar poucos minutos para prestar atenção na comida e mastigar bem os alimentos.

5. Jamais deixe de tomar café da manhã
Pesquisas apontam que as pessoas que tomam um café da manhã saudável permanecem mais dispostas no restante do dia. Insira frutas ou sucos, cereais ou pães integrais, leite ou iogurte desnatado.

6. Comida de casa
Se sua alimentação em casa for balanceada, levar a comida do jantar para o almoço pode ser uma boa opção, ajudando a manter o cardápio mais saudável.

7. Faça pequenos lanches entre as refeições
Mantenha seu metabolismo funcionando durante todo o dia, o que vai ajudá-lo também a ingerir menor quantidade de alimentos nas refeições maiores, como almoço e jantar. Para isso, faça pequenos lanches entre elas, procurando alimentar-se a cada três ou quatro horas.

8. Prefira os carboidratos integrais
O exagero de carboidratos em um prato,  principalmente sem proteínas, leva a um aumento rápido da insulina e, por isso, pode ser seguido de fraqueza, além de favorecer o acúmulo de gordura abdominal.

9. Necessidade de doce
A sensação de necessidade de doce pode ser por conta de uma privação de carboidratos integrais, como pães, arroz, batata, massas, que é a fonte energética preferida pelo corpo. Quando o organismo necessita do açúcar, temos a sensação de falta de doce.

10.  Escolha por produtos que apresentem níveis controlados de gordura saturada, gordura trans, sódio e açúcar
Confira sempre a tabela nutricional e fique de olho na quantidade de açúcar e sódio contido nos alimentos industrializados.

Fonte: http://goo.gl/vD51lF 

 


Compartilhe isso:

10 dicas para uma alimentação saudável no dia a dia

Para esclarecer as muitas dúvidas que surgem na hora de pensar em um cardápio equilibrado e montar um prato que depois não traga arrependimentos, a nutricionista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Kátia Terumi Martinez Rodrigues Ushiama, preparou uma série de dicas para orientar na tarefa de comer bem.

1. Comer um alimento que não nos apetece vira um sacrifício e desanima qualquer um. Não adianta forçar um alimento que dizem que faz bem. A natureza se encarregou de oferecer muitas opções nos vários grupos de alimentos que podem agradar a todos os gostos.

2. Uma refeição equilibrada deve ter os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento físico e para a manutenção da saúde. Para isso é preciso variar e comer com moderação.

3. Ficar com fome e depois se fartar até passar mal em uma ou duas refeições por dia não faz nada bem. Assim como temos horário para cumprir nossas tarefas diárias, comer também tem hora. Café da manhã, almoço e jantar, intercalados por lanches saudáveis, devem fazer parte da rotina.

4. Produtos frescos, higienizados corretamente e armazenados de forma segura garantem refeições livres de contaminação e sem riscos de problemas gastrointestinais ou intoxicações alimentares.

5. Quantos litros de água devo ingerir por dia? A água é fundamental para a saúde, porque ajuda a manter o bom funcionamento do organismo. A quantidade varia de pessoa para pessoa. Então fica a dica: tome pelo menos 30 ml por quilo do seu peso corporal.

6. Frutas e cereais integrais tornam o café da manhã mais nutritivo e saboroso. Os alimentos integrais geram saciedade e ajudam a fazer melhores escolhas alimentares ao longo do dia.

7. Iniciar o almoço e o jantar com um bom prato de salada fornece não apenas vitaminas, minerais e fibras como também ajuda a controlar os excessos com os pratos quentes.

8. Cuidado com as calorias. Cada um tem necessidades específicas de calorias diárias. Consumir menos ou mais não ajuda nada na dieta que se pretende saudável. A quantidade de calorias que deve ser consumida depende de fatores como idade, sexo e estatura, nível de atividade física, estado fisiológico (gestação, lactação e doenças), manutenção de peso, ganho de peso ou perda de peso.

9. Refeições verdadeiramente saudáveis levam à maior qualidade de vida e influenciam no bem estar físico e mental, no equilíbrio emocional, na prevenção de doenças e até no tratamento de doenças. Olhe bem para o seu prato e veja se ele tem mesmo tudo o que você precisa. Pense antes de escolher os ingredientes e fazer o seu prato.

10. As cores dos alimentos indicam quais as prováveis vitaminas e minerais que eles contêm e, portanto, quanto mais colorido o prato, mais variedade de nutrientes será oferecido ao organismo, contribuindo para o seu funcionamento adequado.
 

Fonte: http://goo.gl/afWs7g 


Compartilhe isso: