Blog DiCorpo

Se você procura qualidade, inovação e bem-estar,
seja bem-vindo à DiCorpo!

Qual o melhor horário do dia para se exercitar?

Há explicações científicas para aqueles “hábitos estranhos” das pessoas que acordam cedinho de manhã ou só vão para a cama ao amanhecer.

Quando o assunto é exercício físico, esses hábitos têm papel ainda mais importante, já que podem afetar a performance.

Uma variável crucial é o ritmo circadiano, conhecido popularmente como relógio biológico – a forma como nosso corpo regula hormônios, temperatura corporal, ritmo cardíaco e outras funções essenciais. Tudo influencia o quão alerta – ou sonolenta – uma pessoa se sentirá em determinados momentos do dia.

“Há correlações entre exposição à luz, estações (do ano) e características individuais”, disse Luis Franco Banfonte, secretário-geral da Federação Espanhola de Esportes, ao serviço em espanhol da BBC. “Não dá para generalizar porque é algo pessoal.”

Há estudos indicando vantagens e desvantagens da prática de exercício nos diferentes períodos do dia.

Mas Banfonte ressalta que, “do ponto de vista metabólico e fisiológico, se o objetivo é manter o peso, é mais recomendado que o exercício seja praticado em horários distantes dos horários das refeições”.

Nesse caso, diz ele, o melhor é praticar esportes nas primeiras horas da manhã.

Diversos estudos científicos reforçam a ideia de que a atividade física matinal traz benefícios.

“Se você exercitar sua mobilidade, como quando vai de bicicleta (para o trabalho), alguns hormônios e neurotransmissores – como endorfinas – fazem você se sentir melhor, com mais vigor e de bom humor”, prossegue Banfonte.

“Dessa forma, a pessoa começa o dia melhor, não só do ponto de vista piscológico, mas também fisiológico.”

O lado negativo disso é que, pela manhã, a temperatura do corpo tende a ser mais baixa, o que aumenta o risco de lesões e pode reduzir o desempenho do praticante.

Fim do dia: Performance

Na mão oposta, quem prefere praticar esportes mais tarde se beneficia de temperatura corporal e níveis hormonais no auge, o que melhora o desempenho.

Um estudo da Universidade de Chicago, nos EUA, indica que é mais fácil atingir resultados melhores em resistência e construção de massa muscular exercitando-se no final do dia.

O risco de lesões também é menor, já que o corpo responde mais rapidamente por estar desperto por muitas horas.

“Há pessoas que naturalmente acordam cedo e têm facilidade em pegar no sono. Outras sofrem mais para acordar e, à noite, para voltar a dormir. Eu estou nessa segunda categoria, então tenho dificuldades em me exercitar de manhã”, diz Banfonte.

Além disso, para muitas pessoas, o exercício noturno é uma forma de relaxar depois de um dia estressante.

No entanto, deixar a prática de esportes para muito tarde também pode ser perigoso, adverte o especialista espanhol.

“Exercícios, sobretudo os de alta intensidade, não são recomendados depois das 21h ou 22h porque eles podem afetar os padrões de sono, retardando a vontade de dormir. Isso pode causar fadiga e cansaço no dia seguinte.”

Fonte: http://goo.gl/KmgIdk

 


Compartilhe isso:

Making Of Outono 2015

Confira algumas imagens da nova coleção da DiCorpo, que chega até você a partir do dia 18 de fevereiro. 


Compartilhe isso:

Só 2 minutos de exercícios intensos ajudam a queimar gordura

Já ouviu falar no High Intensity Training (Treino de Alta Intensidade)? A proposta indica que dois minutos de exercícios intensos por dia podem fazer grande diferença. O Fast Exercise (Exercício Rápido), proposto pelo médico Michael Mosley, segue essa ideia e afirma que os benefícios incluem melhor condição aeróbica, resistência e redução da gordura corporal.

Existem dois tipos de Exercício Rápido. O Fast Fitness (Fitness Rápido) consiste em exercícios cardiovasculares, como pular corda, correr, subir escadas, pedalar, que se destinam a melhorar o coração e a saúde em geral. O Fast Strength (Força Rápida) envolve atividades de resistência muscular usando o peso do corpo, sem aparelhos de academia, como agachamento e polichinelo, fortalecendo os músculos, tonificando o corpo e ajudando na postura.

O objetivo é fazer, em curtos espaços de tempo, grande esforço, acrescentando períodos de descanso, em que se continua fazendo o mesmo exercício, mas de maneira mais suave e lenta. Use algum cronometro para marcar o tempo.  Durante os períodos de alta intensidade, o ideal é chegar a 80% da sua frequência cardíaca máxima. Para calculá-la, a sugestão é correr ou pedalar o mais rápido que puder por três minutos e descansar por dois minutos. Depois, esforce-se por mais alguns minutos até não aguentar mais. Neste momento, atingirá o pico da frequência máxima, que deve ser medido com o auxílio de um monitor de frequência ou pelo pulso.

Para resultados melhores, pode apostar em duas sessões de Fast Fitness e uma de Fast Strength por semana. Com a melhora da disposição, pode alternar os tipos, realizando-os todos os dias da semana.

Confira a matéria completa em http://goo.gl/cs2wJK.


Compartilhe isso: