Blog DiCorpo

Se você procura qualidade, inovação e bem-estar,
seja bem-vindo à DiCorpo!

Entenda por que a autoestima interfere tanto na sua vida

Gostar de si mesmo, acreditar no seu potencial e confiar na sua capacidade e se respeitar são elementos básicos da definição de autoestima. Pela lista é possível ter uma pequena noção da importância dela. No entanto, seu poder é ainda maior. Acredite: a autoestima é um dos principais recursos do ser humano para viver bem. Basicamente, ela determina a maneira como as pessoas se relacionam com o mundo, encaram os desafios da rotina diária e se protegem ou se expõem em situações que exigem controle emocional.

De acordo com a psicóloga Doralice Lima, a autoestima desempenha um papel fundamental na convivência familiar, no trabalho, no grupo de amigos e em equipes. "O movimento do mundo acontece porque pessoas que acreditam nelas mesmas compartilham ideias. Esses indivíduos têm autoconfiança, um fator que pode atrair e entusiasmar a sociedade e promover mudanças", explica.

Como desenvolver a autoestima
A boa notícia é que a autoestima pode ser desenvolvida e aperfeiçoada ao longo da vida. Naturalmente, seu grau pode ser ainda mais elevado se for estimulada desde cedo, ainda na infância. Porém, o fator não é determinante, segundo Doralice. "Para ter e manter a autoestima em alta não basta olhar só para si. A visão do que está em volta da sua realidade, ou seja, da sociedade, é muito importante. Se a visão é negativa e pessimista, certamente a impressão que você terá de si mesmo será ruim. E o ser humano tem capacidade para incorporar esta visão ao longo do tempo", diz a profissional.

Da mesma forma que a autoestima pode ser adquirida aos poucos, a longo prazo, é importante ressaltar que ela é variável e nem sempre anda em compasso. Segundo pesquisas realizadas nos Estados Unidos, conduzidas pela Universidade de Dakota do Norte, ela se alterna em elevada e baixa, dependendo de um contexto ou situação.

Uma pessoa bem sucedida e resolvida na profissão, por exemplo, pode ter uma vida pessoal caótica por causa de insegurança.

O levamento norte-americano indica que por causa desta variação, aumentar a autoestima é um processo que precisa ser canalizado de forma coerente. Se o problema está no trabalho, o ser humano deve canalizar o aumento da autoestima para situações daquela realidade e não para a estética, por exemplo.

Melhorar a autoestima requer um mergulho profundo dentro de si mesmo. De acordo com especialistas, fazer uma avaliação do próprio comportamento e convicções, questioná-los e descartar aquilo que não traz harmonia para a vida é o primeiro passo para aumentá-la.

Segundo Doralice, a tarefa não é das mais difíceis, mas exige um trabalho contínuo para modificar e romper padrões comportamentais que, às vezes, foram usados por quase uma vida inteira. "Celebrar as conquistas, fazer exercícios, manter o foco nos aspectos positivos da vida e examinar o passado e perceber os erros e acertos são formas de aumentar a autoestima e dar mais sentido à existência", aponta.

Livros sobre tema não faltam, relembra a psicóloga. De acordo com a profissional, até uma simples leitura nos manuais de autoajuda são positivos, pois sinaliza que o indivíduo está tentando, de alguma forma, ser mais feliz consigo mesmo.

Fonte: encurtador.com.br/blxHP


Compartilhe isso:

7 estratégias para não engordar no outono

Os dias ficam mais frescos, à noite os termômetros caem ainda mais. E as tentações calóricas parecem ainda mais irresistíveis. Por que temos mais fome no frio? “Gastamos mais energia, pois o organismo se esforça para manter a temperatura corporal estável. O aumento de apetite é uma consequência desse processo, já que precisamos de mais comida para compensar essa demanda energética”, explica Ana Luisa Vilela, nutróloga especialista em emagrecimento da Clínica Slim Form.

Esse mecanismo por si só não justifica tudo – mesmo porque caprichamos no guarda-roupa de inverno –, mas há outras questões em pauta, como a queda nos níveis de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. “A produção dessa substância pode cair, principalmente em pessoas que não se sentem bem com as temperaturas mais baixas e dias cinzentos, escuros”, diz a médica.

E, se buscamos conforto na comida, passamos longe dos alimentos crus e frios. “A ingestão de saladas, legumes e frutas diminui nessa época e dá espaço para as gorduras e açúcares -- na forma de doce, massa, fritura e carnes”, diz a nutróloga, que sugere sete estratégias para você não cair nas ciladas típicas do outono.

1. Aumente o consumo de proteína, que demora mais para ser metabolizada e liberada, o que prolonga a sensação de saciedade. Boas fontes: ovo, carnes magras e leguminosas, como feijão, soja, grão de bico e lentilha.

2. Opte pelos nos carboidratos in natura e de baixo índice glicêmico, consumidos em receitas quentinhas. Bons exemplos: abóbora assada, mandioca ou batata-doce cozida e couve-flor gratinada (sem creme de leite). Todos eles são bons para aumentar o nível da serotonina. As frutas também entram na categoria carbo do bem e podem ser consumidas quentes – maçã, pera ou banana aquecidas no micro com canela ou noz-moscada são opções gostosas e práticas.

3. Vá de sopa, uma das campeãs quando o assunto é confort food. Abóbora, mandioquinha e lentilha garantem receitas naturalmente cremosas, dispensando o creme de leite.

4. Misture carbo de baixo índice glicêmico, como couve-flor e abobrinha, no arroz. Além de aumentar a densidade nutricional do prato, dá para comer mais sem engordar.

5. Abuse dos chás sem cafeína (e sem açúcar!) que esquentam o corpo, aumentam a sensação de bem-estar e diminuem a vontade de doce. Boas opções: camomila, erva-doce, cidreira, casca de abacaxi, maçã com canela.

6. Aposte nas frutas típicas desta época, que, além de pobres em calorias, são ricas em vitamina C. Morango, limão, maracujá e goiaba estão na lista.

7. Faça do chocolate um aliado. Seja na versão em barra ou em pó, a versão 70% cacau é mais saudável, mas acima de 50% já está valendo. Ajuda na produção de serotonina, é rico em antioxidantes e ajuda a diminuir a necessidade de carboidratos e açúcar. A dica é dividir em pequenos quadradinhos e deixá-los derretendo na boca, assim a sensação de saciedade vem primeiro.

Fonte: https://glo.bo/2OQjEgW


Compartilhe isso:

Instituto americano divulga tendências fitness e saudáveis para 2019

Cansado de fazer os mesmos velhos exercícios de sempre na academia? Quer renovar o workout para 2019. Pois a American College of Sports Medicine pode te ajudar.

O instituto americano acabou de publicar o seu levantamento anual sobre saúde e exercício físico, listando as principais tendências para o ano que vem.

Entre algumas conclusões da pesquisa, estão a perda de força dos treinos cardiovasculares, enquanto os treinos funcionais e de resistência muscular seguirão como tendências.

Confira, abaixo, a lista completa:

1.Wearables de treino, em especial os relógios inteligentes e os monitorizadores cardíacos

2. Aulas de grupo

3. Treino intervalado de alta intensidade

4. Programas de fitness para terceira idade

5. Treino de peso corporal

6. Yoga

7. Procura por profissionais de fitness certificados

8. Personal training

9. Treino Funcional

10. Exercício como medicina (prevenção e tratamento de patologias)

11. Coaching de saúde e bem-estar

12. Exercícios para perda de peso

13. Apps de treino

14. Dispositivos de mobilidade

15. Programas de bem-estar em empresas

16. Treinos por resultados

17. Atividades ao ar livre

18. Formação de mais profissionais de fitness

19. Grupos pequenos de personal training

20. Aulas de pós-reabilitação

Fonte: https://bit.ly/2FEeaS6


Compartilhe isso:

Como se alimentar no outono

Caracterizado pelo nascimento de frutos, pelo clima rigorosamente seco e a temperatura fria, o outono está presente durante os meses de março a junho. É nessa época do ano que pessoas com doenças crônicas, como asma, bronquite e que possuem problemas respiratórios precisam ter um acompanhamento médico mais frequente, além também do surgimento constante de resfriados e gripes.

Por isso, é preciso ter uma alimentação diferenciada e capaz de suprir as necessidades que o corpo precisa durante esse período. Para isso, redobrar a atenção e garantir um cardápio balanceado são itens fundamentais para o corpo humano.

Segundo a nutricionista Regina Fiozzini, é preciso incluir na dieta algumas vitaminas e saias minerais. “O clima seco pede que comamos frutas frescas, verduras em demasiado,além de legumes cozidos à vapor”, comenta Regina.

É imprescindível também consumir frutas com vitamina C para a prevenção de possíveis resfriados. “Eu recomendo tomar pelo menos, um copo de suco de laranja ao acordar e outro ao deitar. A laranja possui vitaminas para evitar que o corpo esteja suscetível a gripes”, ensina a nutricionista.

Durante o outono, beba bastante água, alimente-se com propriedade e esqueça os sanduíches. “Com a correria do dia a dia, as pessoas se alimentam de forma bastante errada. Nessa época do ano, é preciso redobrar a atenção e não deixar de se alimentar de duas em duas horas. Para isso, prefira sucos, barrinhas de cereais ou até mesmo uma fruta”, afirma Regina.

Dicas de alimentação para o outono

A nutricionista Regina Fiozzini dá algumas dicas e ensina como se alimentar no outono:

Consuma bastante rúcula, aipim, nozes e sucos como abacaxi com hortelã, laranja e acerola. “Invista em uma alimentação balanceada e saudável, como o famoso arroz com feijão, rúcula com condimentos e um bife grelhado”, recomenda a nutricionista.

Como o clima é bastante seco, beba bastante líquido. “A água é a melhor opção para se tomar em todas as estações do ano. Beber alguns copos durante o dia equilibra o organismo e traz a hidratação necessária ao corpo”, sugere Regina.

Opte pelos ensopados, afinal, é neles que você pode misturar diversos nutrientes em uma única alimentação. “As sopas são ideais para garantir energia e vitamina ao organismo. Invista nas receitas com legumes, feijão e carnes cozidas”, diz Regina Fiozzini.

Frutas como melancia, melão e abacaxi são ideais para hidratar o organismo. “As frutas cítricas também são ótimas opções para incrementar o cardápio”, ensina a nutricionista.

Porém, é preciso tomar certo cuidado e pedir orientações do seu médico para ele indicar a melhor dieta para todas as estações do ano. “Cada pessoa precisa ter determinada quantidade de nutrientes, açúcar e até sal diferentes. Por isso, é preciso visitar regularmente o especialista e realizar aqueles exames de rotina para garantir que o cardápio.

Fonte: https://bit.ly/2Jgb3oz


Compartilhe isso:

8 dicas sustentáveis de beleza para colocar em prática já

Uma das metas para 2019 da minha colega de baia, a produtora de conteúdo de beleza Camila Sawamura, é usar produtos de beleza mais sustentáveis e naturais e também reduzir a quantidade de plástico da sua rotina de beleza. Fiquei com isso na cabeça porque achei a ideia inspiradora, mas também me surgiram muitas dúvidas de como mudar essa rotina (em que a gente acaba ficando superacomodada) a fim de reduzir os impactos negativos no meio ambiente. Ninguém melhor do que uma expert no assunto para nos ajudar nessa missão, né?

Convidamos  Giovanna Nader, consultora de moda & beleza consciente + criadora do Projeto Gaveta (que promove feiras de trocas de roupas e acessórios) para nos dar uma "luz". Abaixo, ela te conta 8 dicas de beauté do bem que podem impactar positivamente o meio ambiente. Vamos lá?

Com a palavra, Gi:

1. Usar (mesmo) cosméticos naturais

"Nossa pele absorve tudo com extrema rapidez, e o que a gente passa sobre ela cai diretamente na nossa corrente sanguínea. Prova disso são os medicamentos em adesivos como anticoncepcional e nicotina, né? Os cosméticos industriais contêm produtos sintéticos e derivados do petróleo em sua composição. Já tentaram ler o rótulo e se depararam com ingredientes de nomes esquisitos? Por outro lado, já temos infinitas marcas com ingredientes naturais e orgânicos.

Esse mercado já é tão representativo, que possui um crescimento de 10% maior que o dos cosméticos convencionais. Mas aqui precisamos nos atentar quanto ao Greenwashing (termo usado para a marca que se diz ser sustentável, quando na realidade não é). Por ser uma categoria nova, existe uma fraca regulamentação nos rótulos. Na embalagem está escrito “produto 100% natural’, mas quando olhamos a composição, está cheios de produtos sintéticos. Quer uma dica? Aqui vale também se aventurar e produzir seu próprio cosmético, que sai mais barato e ainda vem sem embalagem. Viva o YouTube, que está recheado de tutoriais ensinando como produzir seu próprio desodorante, sabonete, creme corporal..."

Bora reduzir o número de embalagens?

"O mercado de cosméticos está sempre em constante crescimento, já repararam? Pode haver uma crise, mas sempre temos graninha pra mais um creminho. Se eu relembrar o que tinha no meu banheiro há 10 anos atrás (#10yearschallenge, rs), era pouquíssima coisa: apenas um tipo de shampoo, outro de condicionador, hidrantante, sabonete e só. Hoje, nossas bancadas são recheadas de cosméticos e a sensação é que sempre cabe espaço para o último lançamento. Vibramos tanto com a inovação que nem nos atentamos à embalagem, que normalmente é feita de plástico e lá se vão mais resíduos para os oceanos.

Em alguns países, já se vende cosmético a granel (sonho), mas por aqui a ANVISA ainda não permitiu. A boa notícia é que existem algumas soluções para você reduzir seu descarte de embalagem. Uma delas é optar, sempre que der, por embalagens de vidro. Elas são mais fáceis de reutilizar, servindo tanto para armazenar seus cosméticos artesanais, quanto temperos de cozinha. A outra é dar preferência à shampoos e condicionadores sólidos e sabonetes em barra. Se feitos por marcas artesanais, eles ainda vem embalados em soluções que agridam menos o meio ambiente, como o papel ou até em folhas secas."

Discos reutilizáveis ao invés de algodão... Boa ideia!

"Quer diminuir ainda mais o seu descarte de lixo caseiro? Substitua o algodão que você usa pra remover maquiagem por disquinhos reutilizáveis. Eles podem ser de crochê ou de tecido de algodão. A primeira opção você pode comprar pronto (várias marcas já vendem) ou, quem quiser se aventurar, pode procurar um tutorial na internet e fazer seu próprio disquinho. Fun! Já o de paninho é fácil que só. Basta cortar em pequenos pedaços, cinco camadas de tecido de algodão (pode ser aquela camiseta antiguinha que você não usa mais), costurá-las uma sobre as outras e pronto. Para limpar, é só lavar de tempos em tempos com água e sabão."

Óleo de coco para tirar a maquiagem

"Sabia que o óleo e coco é um ótimo demaquilante natural? Ele remove perfeitamente base, batom, sombra e até rímel a prova d’água. Façam o teste! Ainda, de quebra, é um ótimo hidratante. Eu aplico o produto com a ponta dos dedos, massageando e “derretendo” o make. Depois removo com o disquinho reutilizável e lavo com água e sabão."

Dê uma chance para o coletor menstrual

"Estimo que a gente use cerca de 20 absorventes durante o nosso ciclo menstrual. Ao todo, são 240 absorventes que a gente descarta no lixo por ano. Esses absorventes, além de não serem biodegradáveis, são compostos por adesivos termoplásticos, celulose, polietileno, propileno, papel siliconado, polímero superabsorvente e agente controlador de odor. Ufa! Muito produto químico em contato direto com nossa vagina, não acha? Há um tempo me tornei adepta do coletor menstrual. É só usar durante todo o dia e no fim descartar o sangue no vaso sanitário (ou no meu caso, plantar a lua), lavar com água e sabonete e usar novamente. De tempos em tempos, esterilizo com água fervendo."

O bambu é pop!

"Ao invés da escova de dente de plástico, invista nas de bambu. Enquanto o plástico leva, em média, 450 anos pra se decompor, o bambu é um material sustentável e biodegradável. Por ser uma planta, tem rápido crescimento e não é considerado desmatamento."

Que tal apostar nos cotonetes ecológicos?

"Se eu pudesse nomear o maior vilão da poluição plástica eu escolheria os cotonetes. Por serem fininhos, as estações de tratamento não conseguem retê-los e eles acabam nos oceanos. Lá, devido a oxidação e ondas do mar, eles se quebram em mínimos pedacinhos e são confundidos com alimentos por animais marinhos, que os ingerem e acabam morrendo. Algumas marcas já se atentaram para isso e estão produzindo cotonetes biodegradáveis. No lugar do plástico, hastes de papelão. Esses aí da foto são da marca Needs e facilmente encontrados em farmácias."

Use desodorante sem alumínios

"Já foi comprovado cientificamente que os desodorantes com alumínios podem provocar câncer de mama. Os sais do alumínio presentes obstruem os poros da pele e impedem a eliminação das toxinas pelas axilas. Essas toxinas se acumulam nas glândulas abaixo das axilas, região onde a maioria dos cânceres de mama aparecem.

Há um tempo uso pedra de alume, um antitranspirante 100% natural. Quando molhada e passada sobre a pele, ela cria uma película com efeito adstringente, que evita o mal cheiro e a transpiração. Dica de quem vem testando “na pele”: nesse calor é bom levar ela com você e repassar algumas vezes durante o dia. Outra opção aqui é usar o bicarbonato de sódio, aplicando-o diretamente sobre a pele, ou investir em desodorantes naturais."

Fonte: https://glo.bo/2H9mr3G


Compartilhe isso: