Blog DiCorpo

Se você procura qualidade, inovação e bem-estar,
seja bem-vindo à DiCorpo!

Coleção Inverno 2019 da DiCorpo está no ar

Coleção Inverno DiCorpo 2019

Adivinha quem acaba de chegar? A nossa nova coleção! Ela surge cheia de estilo para aquecer e conquistar corações. São diversas novidades em cores, estampas e modelagens que combinam com a nova estação.

Uma peça mais linda que a outra para curtir os dias frios com conforto, bem-estar e, é claro, muita beleza.

Veja o catálogo completo em: https://www.dicorpo.com.br/catalogo.


Compartilhe isso:

Entenda por que a autoestima interfere tanto na sua vida

Gostar de si mesmo, acreditar no seu potencial e confiar na sua capacidade e se respeitar são elementos básicos da definição de autoestima. Pela lista é possível ter uma pequena noção da importância dela. No entanto, seu poder é ainda maior. Acredite: a autoestima é um dos principais recursos do ser humano para viver bem. Basicamente, ela determina a maneira como as pessoas se relacionam com o mundo, encaram os desafios da rotina diária e se protegem ou se expõem em situações que exigem controle emocional.

De acordo com a psicóloga Doralice Lima, a autoestima desempenha um papel fundamental na convivência familiar, no trabalho, no grupo de amigos e em equipes. "O movimento do mundo acontece porque pessoas que acreditam nelas mesmas compartilham ideias. Esses indivíduos têm autoconfiança, um fator que pode atrair e entusiasmar a sociedade e promover mudanças", explica.

Como desenvolver a autoestima
A boa notícia é que a autoestima pode ser desenvolvida e aperfeiçoada ao longo da vida. Naturalmente, seu grau pode ser ainda mais elevado se for estimulada desde cedo, ainda na infância. Porém, o fator não é determinante, segundo Doralice. "Para ter e manter a autoestima em alta não basta olhar só para si. A visão do que está em volta da sua realidade, ou seja, da sociedade, é muito importante. Se a visão é negativa e pessimista, certamente a impressão que você terá de si mesmo será ruim. E o ser humano tem capacidade para incorporar esta visão ao longo do tempo", diz a profissional.

Da mesma forma que a autoestima pode ser adquirida aos poucos, a longo prazo, é importante ressaltar que ela é variável e nem sempre anda em compasso. Segundo pesquisas realizadas nos Estados Unidos, conduzidas pela Universidade de Dakota do Norte, ela se alterna em elevada e baixa, dependendo de um contexto ou situação.

Uma pessoa bem sucedida e resolvida na profissão, por exemplo, pode ter uma vida pessoal caótica por causa de insegurança.

O levamento norte-americano indica que por causa desta variação, aumentar a autoestima é um processo que precisa ser canalizado de forma coerente. Se o problema está no trabalho, o ser humano deve canalizar o aumento da autoestima para situações daquela realidade e não para a estética, por exemplo.

Melhorar a autoestima requer um mergulho profundo dentro de si mesmo. De acordo com especialistas, fazer uma avaliação do próprio comportamento e convicções, questioná-los e descartar aquilo que não traz harmonia para a vida é o primeiro passo para aumentá-la.

Segundo Doralice, a tarefa não é das mais difíceis, mas exige um trabalho contínuo para modificar e romper padrões comportamentais que, às vezes, foram usados por quase uma vida inteira. "Celebrar as conquistas, fazer exercícios, manter o foco nos aspectos positivos da vida e examinar o passado e perceber os erros e acertos são formas de aumentar a autoestima e dar mais sentido à existência", aponta.

Livros sobre tema não faltam, relembra a psicóloga. De acordo com a profissional, até uma simples leitura nos manuais de autoajuda são positivos, pois sinaliza que o indivíduo está tentando, de alguma forma, ser mais feliz consigo mesmo.

Fonte: encurtador.com.br/blxHP


Compartilhe isso:

7 estratégias para não engordar no outono

Os dias ficam mais frescos, à noite os termômetros caem ainda mais. E as tentações calóricas parecem ainda mais irresistíveis. Por que temos mais fome no frio? “Gastamos mais energia, pois o organismo se esforça para manter a temperatura corporal estável. O aumento de apetite é uma consequência desse processo, já que precisamos de mais comida para compensar essa demanda energética”, explica Ana Luisa Vilela, nutróloga especialista em emagrecimento da Clínica Slim Form.

Esse mecanismo por si só não justifica tudo – mesmo porque caprichamos no guarda-roupa de inverno –, mas há outras questões em pauta, como a queda nos níveis de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. “A produção dessa substância pode cair, principalmente em pessoas que não se sentem bem com as temperaturas mais baixas e dias cinzentos, escuros”, diz a médica.

E, se buscamos conforto na comida, passamos longe dos alimentos crus e frios. “A ingestão de saladas, legumes e frutas diminui nessa época e dá espaço para as gorduras e açúcares -- na forma de doce, massa, fritura e carnes”, diz a nutróloga, que sugere sete estratégias para você não cair nas ciladas típicas do outono.

1. Aumente o consumo de proteína, que demora mais para ser metabolizada e liberada, o que prolonga a sensação de saciedade. Boas fontes: ovo, carnes magras e leguminosas, como feijão, soja, grão de bico e lentilha.

2. Opte pelos nos carboidratos in natura e de baixo índice glicêmico, consumidos em receitas quentinhas. Bons exemplos: abóbora assada, mandioca ou batata-doce cozida e couve-flor gratinada (sem creme de leite). Todos eles são bons para aumentar o nível da serotonina. As frutas também entram na categoria carbo do bem e podem ser consumidas quentes – maçã, pera ou banana aquecidas no micro com canela ou noz-moscada são opções gostosas e práticas.

3. Vá de sopa, uma das campeãs quando o assunto é confort food. Abóbora, mandioquinha e lentilha garantem receitas naturalmente cremosas, dispensando o creme de leite.

4. Misture carbo de baixo índice glicêmico, como couve-flor e abobrinha, no arroz. Além de aumentar a densidade nutricional do prato, dá para comer mais sem engordar.

5. Abuse dos chás sem cafeína (e sem açúcar!) que esquentam o corpo, aumentam a sensação de bem-estar e diminuem a vontade de doce. Boas opções: camomila, erva-doce, cidreira, casca de abacaxi, maçã com canela.

6. Aposte nas frutas típicas desta época, que, além de pobres em calorias, são ricas em vitamina C. Morango, limão, maracujá e goiaba estão na lista.

7. Faça do chocolate um aliado. Seja na versão em barra ou em pó, a versão 70% cacau é mais saudável, mas acima de 50% já está valendo. Ajuda na produção de serotonina, é rico em antioxidantes e ajuda a diminuir a necessidade de carboidratos e açúcar. A dica é dividir em pequenos quadradinhos e deixá-los derretendo na boca, assim a sensação de saciedade vem primeiro.

Fonte: https://glo.bo/2OQjEgW


Compartilhe isso:

Instituto americano divulga tendências fitness e saudáveis para 2019

Cansado de fazer os mesmos velhos exercícios de sempre na academia? Quer renovar o workout para 2019. Pois a American College of Sports Medicine pode te ajudar.

O instituto americano acabou de publicar o seu levantamento anual sobre saúde e exercício físico, listando as principais tendências para o ano que vem.

Entre algumas conclusões da pesquisa, estão a perda de força dos treinos cardiovasculares, enquanto os treinos funcionais e de resistência muscular seguirão como tendências.

Confira, abaixo, a lista completa:

1.Wearables de treino, em especial os relógios inteligentes e os monitorizadores cardíacos

2. Aulas de grupo

3. Treino intervalado de alta intensidade

4. Programas de fitness para terceira idade

5. Treino de peso corporal

6. Yoga

7. Procura por profissionais de fitness certificados

8. Personal training

9. Treino Funcional

10. Exercício como medicina (prevenção e tratamento de patologias)

11. Coaching de saúde e bem-estar

12. Exercícios para perda de peso

13. Apps de treino

14. Dispositivos de mobilidade

15. Programas de bem-estar em empresas

16. Treinos por resultados

17. Atividades ao ar livre

18. Formação de mais profissionais de fitness

19. Grupos pequenos de personal training

20. Aulas de pós-reabilitação

Fonte: https://bit.ly/2FEeaS6


Compartilhe isso:

5 mitos sobre o estilo de vida fitness

O estilo de vida fitness é cercado de mitos que são disseminados por pessoas que não entendem nada do assunto. Várias delas costumam acreditar em algumas dessas histórias, principalmente quem está desesperado para alcançar resultados rápidos. E uma consequência direta é o mal rendimento do treino, o que acaba prejudicando que o alcance dos objetivos iniciais com a prática de exercícios.

Neste post, vamos falar sobre cinco mitos muito comuns em relação ao mundo fitness. Confira!

1. Fazer muitos abdominais é a única forma de perder barriga

Algumas pessoas têm a falsa ideia de que fazer muitos abdominais ajuda a secar e a definir a barriga. O que esse exercício faz na verdade é fortalecer os músculos dessa região. Então antes de querer uma barriga tanquinho, você precisa eliminar a gordura dessa área. Para ficar trincada, é necessário uma dieta saudável, combinada com exercícios aeróbicos e abdominais para fortalecer essa região.

2. Mulher que treina pesado fica com o corpo fitness exagerado

Esse é um receio muito comum entre diversas mulheres que desejam adotar o estilo de vida fitness. E com tantas famosas mostrando músculos exagerados, é até compreensível que algumas delas pensem que essa afirmativa é verdadeira. Mas essa história não passa de um mito, pois o treino pesado ajuda as mulheres a tonificar os músculos e a ter um corpo definido. Um body masculinizado é resultado de treinos específicos como é o caso dos fisiculturistas, dos problemas hormonais e do uso de substâncias ilícitas.

3. Quanto mais tempo durar o exercício, melhores serão os resultados

Outra inverdade que ronda o mundo fitness é a quantidade de exercícios. Muitas pessoas pensam que é preciso passar horas na academia para atingir os resultados esperados. A verdade é que o que importa na obtenção de bons resultados é a intensidade do treino e não o tempo do exercício.

4. Malhar transforma gordura em músculo

Saúde e qualidade de vida são aliados diretos na vida de quem pratica exercícios.

Esse é um mito muito comum que várias pessoas acreditam. Porém, a gordura e o músculos são dois tecidos diferentes e por isso não tem como transformar um em outro. O que acontece na verdade é que, com a prática de exercícios aliada à uma dieta saudável, a gordura corporal diminui e há um ganho de massa magra. Por isso é comum as pessoas se confundirem e pensarem que um tecido se virou o outro.

5. É possível alcançar bons resultados sem acompanhamento profissional

Há alguns relatos na internet de pessoas que conseguiram emagrecer e conquistaram um corpo invejável criando sua própria dieta e sua rotina de treinos. Por isso, algumas pessoas pensam que não precisam de ajuda profissional, pois se outra conseguiu, ela também é capaz. Mas vale lembrar que cada organismo tem um metabolismo diferente, ou seja, cada objetivo requer uma dieta e treinos específicos. Além disso, a prática de exercícios sem a devida supervisão pode causar lesões. Por isso, antes de aderir ao estilo de vida fitness, você deve procurar um profissional de saúde qualificado para lhe passar as devidas orientações em relação a mudanças alimentares e a rotinas de exercícios.

Fonte: https://bit.ly/2HIEi17


Compartilhe isso: