Blog DiCorpo

Se você procura qualidade, inovação e bem-estar,
seja bem-vindo à DiCorpo!

Exercícios para desestressar

A rotina agitada de trabalho, vida pessoal e doméstica pode tirar muitas pessoas do sério, causando estresse e cansaço excessivo. Assim, é preciso buscar alternativas para relaxar no fim do dia. Uma ótima opção são os exercícios leves, e muitos deles podem ser feitos em casa! Confira:

Técnica de relaxamento muscular 

Para este exercício é preciso estar com a mente relaxada e estar confortável. Volte a concentração para algum ponto do seu corpo. Por exemplo, inicie a atividade pelo pé esquerdo, até começar a sentir pequenas vibrações que subirão pela perna e chegarão ao corpo todo, eliminando as tensões.

Meditar caminhando 

Não muito conhecida como a meditação tradicional, a prática de se caminhar meditandoé indicada para as pessoas que têm dificuldades de concentração estando sentadas. Para começar, encontre um lugar tranquilo. Em seguida, é preciso pensar que não se tem um destino definido para esta caminhada. Tente andar sem sapatos para entrar em contato com a energia do solo.

Procure andar de maneira alinhada, deixando braços e ombros soltos e voltando a atenção apenas para os passos. Aos poucos, transfira o peso de um pé para o outro de forma que um deles fique totalmente leve em cada passo. É essencial caminhar lentamente, sentindo o movimento em todos os pontos das pernas – coxas, joelhos e panturrilhas – e dos pés – o dos dedos no chão, da palma e do toque do calcanhar.

Conserve o olhar voltado para o chão em uma distância de aproxidamente um metro do corpo -  não é preciso olhar para as pernas. Caso o pensamento se afaste para outras coisas, retorne aos poucos a atenção na meditação, respirando regular e pausadamente.

Ioga para iniciantes

A Ioga possui vários movimentos e alguns podem parecer difíceis para quem está começando. A saudação ao sol é uma das sequências mais conhecidas e é simples, podendo ser feita em casa. Comece a atividade ficando em pé, com as palmas das mãos juntas em frente ao peito. Curve o tronco para trás com os braços esticados. Em seguida, volte o corpo para frente e leve as mãos até os pés. Coloque as palmas das mãos no chão, deixando um dos joelhos dobrados e a outra perna esticada para trás. Deite de bruços e levante o tronco, deixando o peito bem aberto. Por fim, apoie as duas mãos e os dois pés no chão, de forma que as costas fiquem esticadas e os quadris para o alto.

Fontehttps://goo.gl/NvoVbN


Compartilhe isso:

Dicas Para Sair do Sedentarismo

Espante a preguiça com atividades que, além de ajudarem a eliminar os quilinhos extras, beneficiam outras áreas da saúde. Assim como um carro parado por muito tempo acaba enferrujando, o corpo humano não foge à regra. Isso porque manter o sedentarismo por anos pode comprometer varias áreas do organismo, fazendo com que ele sofra com o envelhecimento precoce, ou seja, a pessoa pode ter 50 anos, mas aparentar um corpo – e disposição – de um individuo de 70, por exemplo.

A boa noticia é que nunca é tarde par começar a se mexer: desde crianças até idosos podem (e devem!) praticar atividades físicas. Confira algumas dicas. 

Caminhada: a caminhada é uma das principais dicas para sair do sedentarismo. Pois, você conhece algum exercício mais fácil do que a caminhada? Podendo ser praticada em qualquer idade, a modalidade é a atividade mais democrática que existe. Além disso, ela ajuda a manter a forma muscular de membros inferiores e, para as pessoas que são muito sedentárias, ela pode auxiliar na melhora da capacidade cardiorrespiratória.

Corrida: a corrida é outra boa alternativa para sair do sedentarismo. Pois, para quem deseja perder peso, a atividade é ideal. Por ser um exercício aeróbico – o corpo usa o oxigênio e os nutrientes como glicose, gordura e carboidrato para produzir energia para o músculo, a corrida ajuda a eliminar muitas calorias. Além disso, ela melhora o condicionamento cardiovascular e, se for realizada de maneira intervalada, aumenta e potencializa a redução de gordura. 

Natação: para espantar o calor, a atividade é muito bem-vinda. Além disso, ela diminui o impacto sobre as articulações, o que é benéfico para quem sofre com dores nos joelhos, por exemplo. A modalidade ainda estimula a tonicidade muscular e permite que braços, pernas, cabeça, tronco e quadril trabalhem juntos. A adequação física gerada pela natação é muito parecida com a da corrida: aumento do condicionamento cardiovascular e do metabolismo. E, se a natação for realizada de maneira intervalada, isso é, em vez de você nadar continuamente, você dar tiros na mais alta intensidade, potencializa a queima de gordura e melhora ainda mais o condicionamento cardiovascular.

Dança: Quer se divertir e, ao mesmo tempo, perder peso? Pois saiba que a dança é a modalidade perfeita para você. Além de estreitar amizades, ela é benéfica à saúde. Além disso, está relacionada ao beneficio mental, de as pessoas fazerem, se alegrarem e terem um momento de descontração.

Artes marciais: O Judô, jiu-jítsu, Kung fu… as opções são muitas e os benefícios também. Se elas forem realizadas de maneira alternada, isto é, com estímulos de baixa intensidade, elas, ajudam a melhorar o condicionamento cardiovascular, a potencializar a redução de gordura e a aumentar a massa muscular. Além disso, pessoas que praticam artes de maneira constante – de duas a três vezes por semana – são mais confiantes.

Musculação: Quem tem “um pé atrás” com essa modalidade deve mudar de opinião. Isso porque os benefícios proporcionados pela prática são visíveis. Além disso, a musculação aumenta a massa muscular e o metabolismo de repouso, por isso, as pessoas consomem mais gordura no momento de repouso. A atividade ajuda a emagrecer porque aumenta o potencial de oxidação, ou seja, a queima de gordura. Na terceira idade, ela pode contribuir para que pessoas fiquem muito mais independentes, já que um indivíduo idoso, que pratica musculação, terá mais autonomia para subir escadas e diminuir as chances de uma queda. Por isso, é o suprassumo das atividades físicas.

Fonte: https://goo.gl/7Ujvh1


Compartilhe isso:

Sete cuidados básicos na prática de exercícios físicos

Inserir atividades físicas é um dos pilares para uma vida mais saudável. Segundo a Federação Mundial de Cardiologia, pessoas que não praticam atividades físicas têm um risco duas vezes maior de sofrer doenças do coração, ter pressão alta e desenvolver diabetes quando comparadas a quem pratica exercícios físicos regularmente, independente do fato de estar ou não acima do peso.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é de realizar pelo menos 150 minutos de atividade moderada por semana. Entre as práticas recomendadas estão a caminhada - o mais básico dos exercícios -, o ciclismo e até serviços domésticos. A melhor opção é sempre realizar atividades físicas com supervisão. No entanto, a OMS reforça em suas recomendações que os riscos de não se exercitar são muito maiores do que os de fazer atividades físicas sozinho. Para proteger sua saúde sem expor seu corpo a lesões, o Programa Nossa Gente Mais Saudável elencou sete cuidados que você deve ter antes de começar a se exercitar. Confira. 

1. Consulte seu médico
Consultar um médico antes de iniciar uma atividade física é um cuidado obrigatório para qualquer pessoa. Principalmente se houver fatores de risco associados, como a hipertensão ou o diabetes. A atividade física deve ser preferencialmente supervisionada por educador físico, o profissional apto a definir intensidade, duração e o tipo de exercício físico, tornando-o mais eficiente e seguro. Mas nos casos em que não for viável o acompanhamento desse profissional, a atividade física não deve ser evitada, mas realizada de acordo com a recomendação médica. 

2. Não se esqueça de fazer o aquecimento
Exercícios preparatórios são importantes para a comunicação do sistema muscular com o sistema nervoso e, por isso, o rendimento fisiológico da pessoa melhora muito. O aquecimento eleva a temperatura corporal e aumenta a frequência cardíaca, dessa forma, mais sangue é bombeado, levando nutrientes e oxigênio para os músculos. Além disso, é durante o aquecimento que ocorre um aumento da frequência respiratória, importante para o bom rendimento. 

3. Escolha o melhor lugar 
Ao optar por caminhadas ao ar livre, o ideal é procurar por terrenos livres de obstáculos e buracos, além de planos. Esse cuidado tornará a caminhada mais leve, ideal para quem está começando a praticar um exercício físico. Com a progressão na caminhada é possível mudar o estímulo, alternando entre terrenos planos e pequenas subidas. 

4. Intensidade gradual 
Para definir a intensidade do treino deve ser analisado o condicionamento físico individual, por isso, o ideal é procurar um médico e um educador físico antes de começar a se exercitar. De uma maneira geral, comece com um ritmo confortável e evolua de acordo com o ganho de condicionamento físico. 

5. Tempo e frequência
As primeiras semanas de exercício físico são um período de adaptação do corpo à atividade física, por isso, a recomendação é iniciar com 20 minutos, três vezes por semana. Na segunda semana, você pode se exercitar por 20 minutos quatro vezes por semana e na terceira aumentar o treino de cada sessão em 10 minutos. Na quarta semana cumpra trinta minutos cinco dias na semana. Nesse momento você estará cumprindo os 150 minutos de atividade moderada recomendados pela Organização Mundial de Saúde! 
Atenção: mesmo exercícios aeróbicos precisam de um tempo de descanso entre eles. Espere pelo menos 24 horas e caso sinta dores, espere até que elas passem ou faça uma caminhada leve nesse dia. Caso a dor persista, procure um médico. 

6. Mantenha a postura
Correr e caminhar são gestos individuais, cada um possui uma maneira de correr e caminhar. Se o indivíduo se sente bem correndo com o seu tronco mais inclinado ou até mesmo com uma amplitude de passada mais curta e isso não lhe traz desconforto ou gera lesão não existe motivo para tentar modificar tudo isso, a menos que haja riscos para a sua saúde.

Um dos pontos importantes a observar e que deve ser corrigido é a maneira da entrada e saída do pé no solo. Ela deve ser feita do calcanhar (aterrissagem) para a parte próxima aos dedos, preparando para a fase em que o pé fica fora do chão. As costas devem permanecer eretas, com o tronco levemente curvado para frente no caso da corrida. O olhar também deve se fixar à frente, mantendo o pescoço relaxado. O movimento dos braços ajuda no equilíbrio e na coordenação das passadas de forma cadenciada. 

7. Ouça os sinais do corpo 
Durante o exercício, fique atento à sua frequência cardíaca. Ao realizar exercício aeróbico moderado o coração bate mais acelerado e isso é normal, mas o aceleramento não deve ser excessivo. Caso sinta seus batimentos cardíacos excessivamente acelerados pare a atividade imediatamente.
A respiração é outro parâmetro para saber se estamos no caminho certo. A falta de ar ao correr ou caminhar indica que as moléculas de oxigênio não estão sendo adequadamente absorvidas pelo sangue. A resposta normal do corpo frente a esse esforço é cessar a atividade. Para evitar a parada brusca, o ideal é, assim que faltar o fôlego, diminuir o ritmo até a respiração voltar ao normal. 

Lembre-se: qualidade de vida envolve uma série de cuidados, como alimentação saudável, prática de exercícios físicos e equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Quem sai ganhando com essas boas práticas é você!

Fonte: http://goo.gl/q3u4Eh 


Compartilhe isso:

Ânimo nas atividades físicas durante o inverno

O inverno costuma ser o período em que a preguiça e o desânimo atingem os níveis mais altos devido as baixas temperaturas, propícias para aproveitar um filme embaixo das cobertas. Como consequência, as pessoas deixam de se exercitar e a frequência das práticas esportivas diminui consideravelmente.

Mas, o que nem todo mundo sabe, é que a estação mais fria do ano também é excelente para a prática de exercícios físicos. Afinal, o organismo perde menos água e utiliza mais energia para se movimentar, o que pode ajudar aqueles que desejam obter alto gasto calórico.

Primeiro passo rumo às atividades

Algumas semanas depois que você começa a frequentar a academia, seu corpo se acostuma às novas atividades e, aos poucos, sente cada vez mais vontade de se movimentar, mesmo que o clima não esteja muito agradável. Porém, para que essa vontade não seja abalada pela preguiça, o preparador físico José Rubens D’Elia sugere algumas ações simples, como explicou no programa Bem Estar.

1. Determine prazos  

Programar os treinos somente para a semana seguinte é uma maneira de adiar as atividadesfísicas. Por isso, busque prazos mais curtos, para uma prática constante.

2. Visualize os resultados 

Conforme D’Elia explica, “quando temos claro o que vamos ganhar, obtemos força para mandar a preguiça embora”. Assim, reflita sobre todos os benefícios que a atividade física pode proporcionar, como melhora da coordenação motora e aumento da força e do bem-estar.

3. Dê prêmios a você  

Atingiu os cinco quilômetros? Exercitou-se todos os dias da semana? Experimente recompensar a si mesmo com uma sessão de cinema, por exemplo. Dessa forma, a sua autoestima aumenta, você mantém o foco na continuidade e começa a enxergar a atividade física como um hábito, e não uma obrigação.

 

Fonte: http://goo.gl/4Vc3cE​


Compartilhe isso: