Blog DiCorpo

Se você procura qualidade, inovação e bem-estar,
seja bem-vindo à DiCorpo!

Dicas Para Sair do Sedentarismo

Espante a preguiça com atividades que, além de ajudarem a eliminar os quilinhos extras, beneficiam outras áreas da saúde. Assim como um carro parado por muito tempo acaba enferrujando, o corpo humano não foge à regra. Isso porque manter o sedentarismo por anos pode comprometer varias áreas do organismo, fazendo com que ele sofra com o envelhecimento precoce, ou seja, a pessoa pode ter 50 anos, mas aparentar um corpo – e disposição – de um individuo de 70, por exemplo.

A boa noticia é que nunca é tarde par começar a se mexer: desde crianças até idosos podem (e devem!) praticar atividades físicas. Confira algumas dicas. 

Caminhada: a caminhada é uma das principais dicas para sair do sedentarismo. Pois, você conhece algum exercício mais fácil do que a caminhada? Podendo ser praticada em qualquer idade, a modalidade é a atividade mais democrática que existe. Além disso, ela ajuda a manter a forma muscular de membros inferiores e, para as pessoas que são muito sedentárias, ela pode auxiliar na melhora da capacidade cardiorrespiratória.

Corrida: a corrida é outra boa alternativa para sair do sedentarismo. Pois, para quem deseja perder peso, a atividade é ideal. Por ser um exercício aeróbico – o corpo usa o oxigênio e os nutrientes como glicose, gordura e carboidrato para produzir energia para o músculo, a corrida ajuda a eliminar muitas calorias. Além disso, ela melhora o condicionamento cardiovascular e, se for realizada de maneira intervalada, aumenta e potencializa a redução de gordura. 

Natação: para espantar o calor, a atividade é muito bem-vinda. Além disso, ela diminui o impacto sobre as articulações, o que é benéfico para quem sofre com dores nos joelhos, por exemplo. A modalidade ainda estimula a tonicidade muscular e permite que braços, pernas, cabeça, tronco e quadril trabalhem juntos. A adequação física gerada pela natação é muito parecida com a da corrida: aumento do condicionamento cardiovascular e do metabolismo. E, se a natação for realizada de maneira intervalada, isso é, em vez de você nadar continuamente, você dar tiros na mais alta intensidade, potencializa a queima de gordura e melhora ainda mais o condicionamento cardiovascular.

Dança: Quer se divertir e, ao mesmo tempo, perder peso? Pois saiba que a dança é a modalidade perfeita para você. Além de estreitar amizades, ela é benéfica à saúde. Além disso, está relacionada ao beneficio mental, de as pessoas fazerem, se alegrarem e terem um momento de descontração.

Artes marciais: O Judô, jiu-jítsu, Kung fu… as opções são muitas e os benefícios também. Se elas forem realizadas de maneira alternada, isto é, com estímulos de baixa intensidade, elas, ajudam a melhorar o condicionamento cardiovascular, a potencializar a redução de gordura e a aumentar a massa muscular. Além disso, pessoas que praticam artes de maneira constante – de duas a três vezes por semana – são mais confiantes.

Musculação: Quem tem “um pé atrás” com essa modalidade deve mudar de opinião. Isso porque os benefícios proporcionados pela prática são visíveis. Além disso, a musculação aumenta a massa muscular e o metabolismo de repouso, por isso, as pessoas consomem mais gordura no momento de repouso. A atividade ajuda a emagrecer porque aumenta o potencial de oxidação, ou seja, a queima de gordura. Na terceira idade, ela pode contribuir para que pessoas fiquem muito mais independentes, já que um indivíduo idoso, que pratica musculação, terá mais autonomia para subir escadas e diminuir as chances de uma queda. Por isso, é o suprassumo das atividades físicas.

Fonte: https://goo.gl/7Ujvh1


Compartilhe isso:

Sedentarismo

O sedentarismo custa à economia global US$ 67,5 bilhões (R$ 220 bilhões) todo os anos, mais do que o PIB do Paraguai. Desse total, US$ 58,8 bi são gastos anualmente em cuidados médicos decorrentes da inatividade prolongada, além de US$ 13,7 bi que são perdidos todos os anos em produtividade.
 

As estimativas são parte de uma série de estudos publicada na revista científica Lancet , que revela ainda que o sedentarismo mata todos os anos cerca de 5 milhões de pessoas ─ um número de mortes equivalente ao do tabagismo e maior do que o da obesidade.

A pesquisa chama atenção para os malefícios do sedentarismo e o perigo de morte que ele representa. Os cientistas ressaltam que passar mais de oito horas por dia sentado aumenta as chances de morte prematura em 60%.

Mas o artigo da Lancet revela ainda que exercitar-se durante uma hora por dia pode contrabalançar os efeitos nocivos de trabalhar sentado por longos períodos.

Uma equipe formada por cientistas de diferentes países descobriu que o risco de morte era de 9,9% para quem permanecia sentado por 8 horas por dia e mantinha um estilo de vida sedentário.

Já quem permanecia sentado pela metade do tempo (4h) e se mantiva ativo por 1 hora por dia, tinha o risco de morte reduzido para 6,8%.

Os pesquisadores também descobriram que o aumento do risco de morte associado a ficar oito horas sentado por dia foi completamente eliminado nas pessoas que fizeram pelo menos uma hora de exercício físico diariamente.

Eles acrescentam que, atualmente, o sedentarismo constitui uma ameaça tão grave à saúde pública quanto o tabagismo e já mata mais do que a obesidade.

Intervalo

Os cientistas recomendaram a quem passa muitas horas trabalhando sentado fazer um intervalo de cinco minutos a cada hora, além de se exercitar durante o almoço e à noite.

Responsável pela pesquisa, o professor Ulf Ekelund, da Escola Norueguesa de Ciências do Esporte e da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, disse que não é necessário "ir à academia" para compensar o prejuízo de trabalhar longas horas sentado.

"Você não precisa fazer um esporte. Você não precisa ir à academia. Você pode fazer uma simples caminhada, talvez durante a manhã, durante o horário do almoço, ou depois do jantar à noite. Você pode dividir isso durante o dia, mas precisa fazer pelo menos 1 hora de atividade física para obter os efeitos positivos".

O estudo analisou dados de 15 pesquisas anteriores, muitas das quais envolvendo pessoas cima de 45 anos dos Estados Unidos, da Europa Ocidental e da Austrália.

Os autores descobriram que uma hora de exercício de "intensidade moderada", como caminhar a 5,6 km/h ou andar de bicicleta por prazer a 16 km/h, foi suficiente para contrabalançar os efeitos nocivos de permanecer sentado por longos períodos.

Ekelund disse ainda que um intervalo de cinco minutos a cada hora fechada, mesmo que seja ir buscar documento na impressora, poderia trazer benefícios à saúde do funcionário.

Mudanças

Os cientistas afirmaram que a combinação de passar muitas horas trabalhando sentado e ainda assistir à TV à noite sentado no sofá de casa vem se provando letal.

Eles cobraram maiores mudanças nas políticas do governo, de modo a estimular hábitos saudáveis, como aumentar a distância entre os pontos de ônibus para forçar as pessoas a andar mais, fechar o acesso de ruas a veículos durante o fim de semana e abrir academias de ginástica gratuitas nos parques.

Segundo os pesquisadores, os empregadores também devem encorajar os funcionários a realizar atividades físicas, ao fornecer chuveiros e academias, além de estimular intervalos mais longos.
 

Fonte: http://goo.gl/L13ntM


Compartilhe isso: